Limpando a casa

José Carlos de Oliveira

Depois de semanas bombardeada pela imprensa com péssimas notícias acerca de seu time do coração, a China Azul finalmente tem dias de paz e vê uma luz acender no fim do túnel. O esperado afastamento da diretoria que levou o time ao buraco, e a polícia, finalmente, agindo nos bastidores contra os maus torcedores e colocando em cana membros de duas torcidas organizadas são as boas novas dos últimos dias.

Diretoria

Pelo que parece, o bom senso subiu à cabeça dos atuais dirigentes e, com a decisão do 2º vice-presidente, Ronaldo Granata, no início da tarde de ontem, de também aceitar seu afastamento do cargo, abre-se caminho para a reconstrução do Cruzeiro, com um grupo de empresários (conselheiros do clube) devendo assumir o conselho gestor que decidirá o futuro da Raposa.

Nomes de peso

Os nomes falados são de peso, empresários com carreira de sucesso em Minas Gerais e no Brasil. Devem formar parte do grupo os conselheiros Pedro Lourenço, dono dos Supermercados BH; Emílio Brandi, sobrinho do ex-presidente Felício Brandi, que comanda uma rede de atacados; além de Aquiles Diniz, executivo e proprietário do Banco Inter.

Em cana

E as boas notícias não param por aí. Finalmente a polícia resolveu agir e está colocando atrás das grades membros de duas torcidas organizadas, marginais travestidos de torcedores, que nos últimos tempos têm levado medo e terror a quem acompanha jogos do time estrelado.

Valorizando técnicos estrangeiros

Os técnicos brasileiros estão mesmo em baixa com os dirigentes. Depois do sucesso dos dois Jorges – Jesus e Sampaoli, no comando de Flamengo e Santos –, os demais clubes do país só falam agora em nomes estrangeiros para o comando de suas comissões técnicas. O último a aceitar o desafio foi o argentino Eduardo Coudet, contratado a peso de ouro pelo Internacional, de Porto Alegre.

O caminho?

Nem sei se esse é o melhor caminho para o futebol brasileiro, mas, que a medida abre oportunidade para mudanças, isso abre. Agora, ou os técnicos que ainda trabalham por aqui tratam de se atualizar ou perdem cada vez mais espaço. Essa é uma tendência que não terá volta se continuarem as atuais perspectivas para o mundo da bola.

Atlético

Aqui pelas bandas de Minas Gerais, o Atlético está sem comandante e nomes estrangeiros já fazem parte de seus planos. Nada é certo até o momento, mas, pelas primeiras ações da diretoria na montagem do elenco para 2020, certo é que o Galo pretende mesmo trabalhar com um treinador que dê chance a jogadores mais jovens. Nesse contexto, fica difícil para qualquer pessoa adivinhar qual a posição será tomada no futuro pelo clube.

O negócio é esperar mais algum tempo para conferir.

Luxemburgo no Palmeiras

Ainda no assunto sobre técnicos de futebol, a bola da vez volta a ser Vanderlei Luxemburgo, contratado para dirigir o Palmeiras na próxima temporada. Pelo menos no discurso ele chega afinado com a torcida, garantindo que o Porco brigará por títulos na próxima temporada.

Chance única

Essa é uma oportunidade única que o treinador tem para sair do ostracismo da última década, quando acumulou uma série de insucessos em sua carreira. Nem a arrancada que deu com o Vasco da Gama no Brasileirão deste ano serve de parâmetro para apontar ou não seu sucesso no ano que vem.

A única coisa que pesa hoje a seu favor é que a patrocinadora do clube (Leila Pereira) abre os cofres de suas empresas sem medo e está disposta a gastar mais alguns milhões para perseguir seus sonhos de um dia presidir o Palmeiras.

Se este é um casamento que dará certo, só o tempo dirá. Os ventos sopram a favor, mas, no futebol, nem sempre o que parece se torna realidade.

Comentários
×