Líder do governo rebate tribuno

 

Da Redação

O líder do governo na Câmara, vereador Eduardo Print Junior (SD) rebateu as declarações feitas pelo presidente da Junta de Recursos no Diviprev, Darly Salvador na reunião ordinária da última quinta-feira, 21. Darly usou a Tribuna Livre, e acusou os vereadores de omissão. Em sua fala, o presidente da Junta de Recursos do Instituto dos Servidores Públicos de Divinópolis (Diviprev) disse que protocolou na Casa denúncias sobre possíveis irregularidades no Instituto quando o vereador Adair Otaviano (MDB) era presidente da Câmara, mas nada foi feito. Durante o discurso, o tribuno afirmou ainda que foi impedido por Print Júnior de fazer parte da mesa, durante a prestação de contas do Instituto de Previdência dos Servidores de Divinópolis  (Diviprev) na Casa.

Darly classificou o fato como claro e notório, e garantiu também que houve uma chantagem, por parte do Executivo, para que fosse aprovado o parcelamento dos repasses que a Prefeitura tem em atraso com o Instituto, o que ele afirmou ser uma chantagem “clara, absurda e abusiva”. O presidente da Junta disse ainda, que o projeto de “Segregação de Massa”, protocolado pela Prefeitura não é aprovado pelos servidores, e que o Executivo quer “enfiá-lo goela abaixo”.

Contraponto

Logo após a fala do presidente da Junta de Recursos do Diviprev, Print Júnior tirou parte de seu discurso para responder as acusações feitas pelo Tribuno. O líder do governo na Câmara, afirmou que o “Segregação de Massa” não prejudica o servidor, mas sim o próprio Poder Executivo. Segundo Eduardo, alguns aportes terão que ser feios dentro do Diviprev, e a Prefeitura não conseguirá fazer. Ainda conforme garantiu o líder, a situação hoje do Instituto está “ótima”, mas o problema seria o “amanhã”.

— Do jeito que está, e você fazendo um projeto de segregação, vira obrigação fazer, e essa obrigação pode custar caro o futuro prefeito de Divinópolis — avaliou.

Quanto à fala do presidente da Junta de Recursos, em que ele acusa os parlamentares de omissão, por não investigarem sua denúncia feita na Casa, quando Adair Otaviano era presidente, Print Júnior afirmou que ela foi arquivada.

— O senhor citou “para verificação de possível prática de prevaricação de vereadores, conselheiros do Diviprev, possível gestão fraudulenta do referido Instituto”. Encaminhou aqui o ofício N° 410 para esta Casa, e o arquivamento foi em 25 de fevereiro de 2019. Nós voltamos do recesso dia 3 [de março], praticamente colocando a Casa em ordem [...] o trâmite legal da Casa não nos permitiu nem aprofundar na denúncia que o senhor fez. Nós já recebemos o arquivamento dela pelo MP — esclareceu.

Ex-presidente

O ex-presidente da Câmara, Adair Otaviano também se manifestou sobre as declarações feitas pelo presidente da Junta de Recursos do Diviprev. O vereador disseque está na Casa desde 2001, e sempre se preocupa com a previdência dos servidores, pois até ele pertencia a família de servidores da Prefeitura. Adair questionou ainda, se Darly estava fazendo tratamento psicológico, pois em sua fala, ele tinha dito “um punhado de asneiras, um punhado de bobeira”. O parlamentar afirmou também que sabia que a previdência dos servidores já “nasceu com problemas”, e que nenhuma denúncia foi protocolada no Poder Legislativo durante sua gestão.

— Preocupado com a previdência dos servidores, nestes anos que eu estou nesta Casa, foram vários os projetos que aportaram aqui, pedindo para abaixar a alíquota equatorial do repasse para a Previdência, e eu sou um dos únicos vereadores, que está no arquivo desta Casa que votou contra todos os pedidos para baixar a alíquota [...] se tem alguém culpado não é o vereador Adair Otaviano — defendeu.

Comentários
×