Líder comunitário rebate críticas de vereador

Ricardo Welbert 

O construtor civil Carlos Eduardo da Silva Pereira, líder comunitário do bairro Jardim das Oliveiras, em Divinópolis, procurou o Agora nesta quinta-feira, 30, para responder às críticas que recebeu do vereador Dr. Delano (MDB) em reportagem publicada na mesma data.

Na terça-feira, 28, Carlos Eduardo usou a tribuna legislativa para criticar aspectos do serviço público oferecido no posto de saúde do bairro Bom Pastor, que atende moradores do Jardim das Oliveiras e onde o vereador é médico.

Ao responder ao tribuno durante pronunciamento, Delano se referiu às críticas dele como "falta de serviço" e disse que não compareceria ao trabalho na área da saúde caso o tribuno não se retratasse. Procurado pelo Agora, o vereador afirmou, por meio de um assessor, que o tribuno foi ao seu gabinete para se desculpar pelo que disse. Carlos Eduardo nega. 

— Foi falado que procurei por ele no gabinete para me retratar. Na verdade, não aconteceu isso. Até mesmo porque eu entendo que em nenhum momento eu o destratei. Minhas falas na tribuna se deram exclusivamente por conta de reclamações que eu, enquanto líder comunitário, tenho escutado de moradores do Jardim das Oliveiras que recorrem ao posto do Bom Pastor. A meu ver, não sou eu quem precisa se retratar ou pedir desculpas, pois foi ele quem me ofendeu ao dizer que me falta serviço por tirar uma parcela do meu tempo para ir à Câmara usar a tribuna para expor problemas sociais, que é a função dela — afirmou Carlos Eduardo. 

Ainda segundo o construtor, embora seja um profissional do ramo da construção civil, o fato de atuar de forma voluntária na associação de moradores de bairro o credencia para usar a tribuna e defender direitos públicos.

— Não entendo como pode esse vereador, uma pessoa estudada, ter tamanha falta de educação e compreensão em relação ao papel de um líder comunitário. Se eu, enquanto representante de bairro, não puder cobrar resultados para problemas da minha região, em que democracia estamos? — questiona. 

Sobre a ameaça feita pelo vereador de faltar ao serviço no posto de saúde a partir da quarta-feira, 29, caso Carlos Eduardo não lhe pedisse desculpas pelo que disse na Câmara, o líder comunitário se disse surpreso. 

— Fiquei surpreso e duvidei que ele fosse capaz de faltar ao serviço no posto. Mas imagine se isso acontecesse em uma empresa, onde o chefe chamasse a atenção de algum funcionário e ele simplesmente não fosse trabalhar no dia seguinte? É uma coisa muito estranha. Ainda mais vinda de um vereador que é médico em uma unidade pública de saúde. Vi isso como uma birra de menino — comentou Carlos Eduardo. 

A liderança comunitária do Jardim das Oliveiras também repudiou os comentários feitos por vereadores que saíram em defesa de Delano na tribuna dizendo que não se pode criticar o serviço público com base nas reclamações de algumas poucas pessoas. 

— Não foram uma, duas e nem três pessoas que reclamaram comigo da qualidade do atendimento no posto de saúde do Bom Pastor. Foram muitas. Se os vereadores quiserem, preparo uma lista com os nomes, endereços e telefones de cada uma delas — afirmou. 

Não faltou 

Conforme o Agora informou, Delano trabalhou normalmente na quarta-feira. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde.

— Ele nos disse que só havia ouvido falar de algumas críticas, mas não direcionadas a ninguém. Delano trabalhou hoje normalmente. Afinal, a população não podia sair lesada por um fala irresponsável de um líder comunitário — diz um chefe de gabinete. 

Entenda o caso  

A tribuna foi usada na terça-feira por Carlos Eduardo, que se apresentou como presidente da associação de moradores do bairro Jardim das Oliveiras. Ele reclamou do fato de a região dele não ter posto de saúde e a população precisar ir à unidade do Bom Pastor, ao qual ele fez várias críticas relacionadas ao atendimento. 

Instantes após o pronunciamento do cidadão, Dr. Delano ocupou a tribuna para seu pronunciamento. Ele recebeu as críticas e disse que o se o presidente de bairro não retornasse à tribuna ainda ontem para se retratar, a partir de hoje não compareceria para trabalhar no posto de saúde.

— Isso que ele disse é falta de serviço! Exijo que ele se retrate aqui na tribuna hoje ainda. Se ele não fizer isso, a partir de amanhã eu não serei mais médico no posto do Bom Pastor — declarou Delano. 

Assista ao pronunciamento 

Logo o pronunciamento, a reportagem do Agora perguntou ao vereador se ele concorda em deixar de prestar um serviço público para o qual ele é pago com serviço público só porque foi criticado por um usuário do mesmo serviço público. O vereador não quis conceder entrevista, mas confirmou a decisão.

— Podem colocar [no jornal] que eu não quis gravar entrevista. Mas, a partir de amanhã, se não tiver retratação, não irei ao posto — disse Delano enquanto tentava retornar ao plenário. 

A reportagem explicou ao vereador que o regimento interno da Câmara não permite que o tribuno volte à tribuna no mesmo dia. 

— Sim, mas ele pode pedir desculpa na rede social ou então vir aqui na porta. Eu estou aqui. Estou tão acessível! Bater ali e falar com todos os vereadores que ele esteve errado. Que ele criou da cabeça dele e por isso pede desculpas. Mas se não quiser, tudo bem. Assim como ele tem o livre arbítrio [de não pedir desculpas], eu também tenho o de me sentir constrangido. Até ele não pedir desculpas, não volto ao posto — declarou. 

Perguntado sobre a situação de quem precisar do serviço de saúde e não encontrar o médico porque ele não compareceu após ficar chateado com uma crítica, Delano acenou, disse "boa tarde" e entrou novamente no espaço reservado aos vereadores.

Segundo a Secretaria de Saúde, o posto atende a uma população de 12,5 mil pessoas distribuídas nos bairros Bom Pastor, Fonte Boa, Jardins das Oliveiras, Candelária, Nova Fortaleza, Santa Marta, Alvorada e Dom Cristiano.

Comentários
×