Licenciamentos crescem no país e caem em Divinópolis

 

Pablo Santos   

O volume de veículos emplacados na cidade registrou declínio em três cenários diferentes em novembro. No acumulado do ano, em novembro contra o mesmo mês de 2016, e no comparativo com o mês anterior, houve redução, de acordo com os dados do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Minas Gerais (Sincodiv-MG). O resultado no município vai na contramão do Brasil com licenciamentos crescendo. 

Em novembro foram licenciados na cidade 192 veículos, o valor é menor em relação a outubro, quando foram emplacadas na cidade 210 unidades, representando retração de 8,5%. 

Quando se compara novembro deste ano com o mesmo período de 2016, o cenário também registra queda. Em novembro do ano passado foram 207 emplacamentos, baixa de 7,2% no confronto dos dois períodos. 

No acumulado do ano, o declínio percentual dos emplacamentos é maior. De acordo com o Sincodiv, a queda foi de 13%. De janeiro a novembro do ano passado foram 2.630 unidades emplacadas e, no mesmo período de 2017, 2.274.   

Minas 

Em Minas Gerais, No acumulado de 2017 em relação a 2016, houve retração 11,02% para todos os setores somados, “automóveis e comerciais leves, caminhões e motocicletas”. 

Os emplacamentos do segmento de varejo de automóveis e comerciais leves apresentaram retração de 7,84% em relação a outubro. Ao todo, foram emplacadas 7.474 unidades em novembro, contra 8.110 unidades em outubro. Em relação a novembro de 2016, quando foram emplacadas 7.502 unidades,  houve uma pequena queda, 0,37 %. 

Quando consideramos a inclusão de frotistas, locadoras e reboques, o acumulado do ano teve crescimento de 20,28%. 

 Brasil  

Já no Brasil, as vendas de veículos novos subiram 14,6% em novembro, segundo a federação dos concessionários (Fenabrave). O resultado é na comparação com o mesmo período de 2016. Foram emplacados 204.188 automóveis, comerciais leves (picapes e furgões), caminhões e ônibus no mês passado. 

No acumulado do ano, o crescimento é de 9,8%, indicando que o Brasil deverá ter o primeiro ano de alta nas vendas de veículos desde 2012, conforme esperado pelos lojistas e pelas montadoras. 

A previsão da Fenabrave, revisada para cima em outubro, é que o ano termine com alta de 9,9% nas vendas. A associação das montadoras (Anfavea) é mais conservadora, e espera um crescimento de 7,3%. Esta previsão também foi revisada 2 meses atrás. 

 

Comentários
×