Licenciamento de carros cresce 11,89%

Pablo Santos

 Os emplacamentos de veículos em Divinópolis cresceram 11,89% no ano passado. O percentual superou o de Minas Gerais, com alta de 7,18%, de acordo com os dados do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Minas Gerais (Sincodiv-MG).

De acordo com o Sincodiv, os emplacamentos de carros na cidade somaram no ano passado 2.793 unidades, contra 2.496 de 2017, representando o crescimento de 11,89%.

Já em Minas Gerais, os números apontam alta de emplacamentos em todos os segmentos somados: varejo de automóveis e comerciais leves, motocicletas e caminhões. O crescimento foi de 7,18% em relação ao ano anterior. No fechamento de 2018, foram emplacados 96.974 no varejo de automóveis e comerciais leves, contra 92.996 em 2017, representando um crescimento de 4,28%.

A venda de automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões no país cresceu 14,60% no ano passado em relação a 2017, com 2.566.235 unidades emplacadas. É o segundo ano seguido de crescimento. Em 2017, estes segmentos apresentaram crescimento de 9,23%.

Para 2019, a expectativa é de que todos os segmentos automotivos apresentem avanço de 10,1%.

— Iniciamos 2018 com uma expectativa de alta mais moderada, porém, em função da melhora mais acentuada da economia, do consumidor e investidores, ao longo do ano, o desempenho do setor automotivo foi maior do que o esperado. Mesmo com acontecimentos negativos, como a greve dos caminhoneiros, em maio, e a indefinição política, estes não atrapalharam e o mercado continuou em alta — destacou.

Divinópolis

Foram licenciados 1.541 carros no ano passado em Divinópolis. Já no exercício anterior foram 1.470 unidades.  Já as motos emplacadas somaram 819 veículos em 2018, contra 733 do ano anterior. Dos caminhões, foram emplacadas 73 unidades e, no exercício anterior, foram 10 unidades a menos. Os reboques somaram 232 veículos no ano passado. Já em 2017, foram 181 veículos. Já os veículos não identificados foram 88 em 2018 e 49 no ano anterior, de acordo com o Sincodiv.

Comentários
×