Lançada oficialmente a Festa Literária de Divinópolis

Evento tem como tema "Roda da vida não pode parar"

Jorge Guimarães

Os organizadores da “Festa Literária de Divinópolis” (Flid) receberam na manhã de ontem, profissionais da imprensa e convidados para apresentação oficial da edição deste ano, depois de muita luta da editora Gulliver e da livraria Boutique do Livro, pois o evento esteve ameaçado de não ocorrer por influência da crise econômica nacional. Porém, a 4ª edição da “Flid” virá em um formato mais enxuto e voltado ao cenário cultural da cidade e região.

Assim, a feira se propõe a criar um espaço de convivência com a literatura e a vida. A vida cultural, entendida como fenômeno humano, estético e transcendente da própria experiência de vida.

— Ao contrário das outras edições, neste ano não tivemos o respaldo das leis de incentivo à cultura, o que nos levou a formatar uma festa com um custo muito mais baixo — explica um dos organizadores, Daniel Bicalho.

Homenageados

Uma das metas da Flid é relembrar personalidades que ajudaram na construção sociocultural de Divinópolis. Dentre os já homenageados estão o frei Bernardino Leers, Ataliba Lago e Pedro X. Gontijo.

— Neste ano, voltamos nossas homenagens ao artista plástico Geraldo Teles de Oliveira, o GTO — conta Joubert Amaral, da Gulliver.

Tema 

Com o tema “A roda da vida não pode parar”, a “Flid” acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de agosto, no Teatro Gravatá. O público poderá participar de várias atividades sem precisar de ingresso, inclusive dentro do Gravatá, este ano a entrada será por ordem de chegada.

Serão atrações literárias, artísticas e musicais. Haverá espaço para exposição de autores independentes e direcionadas a públicos de todas as idades. E este ano com uma novidade que será um espaço reservado para o cinema.  

É como diz o neto de GTO, Alex Teles, no lançamento da Flid:

— Perseverança aos sonhos e acreditar sempre. A Roda da Vida não pode parar.

Atrações e autores

Assim nas palavras do curador do evento, Juarez Nogueira, os presentes conheceram as atrações e autores convidados. Entre eles o escritor e contador de casos Olavo Romano, o também escritor, psiquiatra, mineiro de São João del-Rei, Ronaldo Simões Coelho. O humorista Reinaldo Figueiredo que dentre inúmeros trabalhos ficou conhecido por integrar o programa de humor “Casseta & Planeta, Urgente!” na TV Globo durante 18 anos. Outro que estará presente na Flid é o jornalista Carlos Herculano Lopes. Túlio Damascena, o criador do Projeto Borrachalioteca, biblioteca formada no interior de uma borracharia, onde as pessoas trocam pneus por livros, também confirmou presença.

Outra personalidade que estará presente ao evento é o mineiro João Marcos, que é professor, ilustrador chargista, além de roteirista da Turma da Mônica.

Por meio de Olegário Alfredo, a literatura de cordel de Minas Gerais se fará presente bem como o humor de Rodrigo Robleño, mais conhecido como o Palhaço Viralata.

GTO 

O homenageado deste ano Geraldo Teles de Oliveira, o escultor GTO, teve seu primeiro trabalho surgido de um sonho, em 1965, e a partir de então passou a considerar a escultura como um legado divino e uma missão. Antes disso, foi trabalhador rural, fundidor e vigia noturno. Mestre da linguagem universal, sua obra realiza uma mitopoética coerente com a ideia de que a roda da vida não pode parar. Assim, ele repete esquematicamente a figura humana, aliada aos símbolos geométricos do círculo e do retângulo, para construir à imagem de si mesmo o grande edifício metafísico que é a sua escultura. Nela se fundem elementos emblemáticos da cultura popular, temas regionais como as festas religiosas e as danças do interior de Minas, mesclados ao sagrado e ao profano. Na rusticidade de sua obra, opera com a intuição, referências e valores do inconsciente, do homem carmicamente atado à roda, aos movimentos da vida. Realizou a primeira, de muitas, exposições individuais em 1967, na Galeria Guignard, em Belo Horizonte.  Sua obra participou de importantes coletivas no Brasil e no exterior.

 

Comentários
×