King Person Crossing

João Carlos Ramos

Plutarco (Queroneia 46 -dC -Delfos 120 dC) foi o maior historiador da antiguidade grega e um dos filósofos mais marcantes de sua época. Influenciou, indubitavelmente, os escritores do movimento de autoajuda do pós-guerra, como Norman Vincent Peale, Hill, Dale Carnegie etc. Podemos afirmar que a modalidade de escrita de autoajuda, da necessidade urgente de iluminar o espírito das pessoas nos anos que se seguiram à Segunda Guerra Mundial, pois era crido por muitos que ela se reiniciaria a qualquer momento. Assim sendo, uma depressão coletiva se incorporava no mundo de então. O grande psicólogo e pastor da famosa igreja de vidro de Nova York, Norman Vincent Peale, houvera influenciado as altas camadas sociais norte-americanas, cujos livros seus foram traduzidos para vários idiomas em todo o mundo. Navegando eu no imenso mar de livros da famosa Biblioteca Municipal Ataliba Lago, onde tenho a honra de trabalhar, me deparei com uma pérola de imenso valor, intitulada:

"Como tirar proveito de seus inimigos - Plutarco". Li e reli o precioso livro e pude extrair algumas lições muito proveitosas na vida diária. Inicialmente, devo dizer que o maior inimigo do homem é ele mesmo e, a seguir, podemos afirmar que os inimigos são aqueles que não conseguem caminhar na senda de navalha da vida e empurram todos, na esperança de evitar sua queda. Ledo engano! Todos nós teremos que trilhar o caminho do meio da sabedoria e caso contrário, cairemos no abismo sem fundo ou na espessa escuridão. Em se tratando dos inimigos de nossa carne, no início de conversa, devo afirmar que eles contribuem para nosso aperfeiçoamento e, portanto, não devem ser desprezados, muito menos circular em nossos grupos seletos de convívio. Aprendi que tudo que eles querem é razão e visibilidade social e não devemos impedi-los, pois após a última gota de mel, a garrafa será tragicamente despedaçada. O homem é verdugo de si mesmo, pois a lei de causa e efeito é infalível: "A semeadura é opcional, mas a colheita é fatal". A famosa frase “KING PERSON CROSSING'' se traduz como "Travessia para pessoa rei", significando a transição de nossa mente carnal para a consciência coletiva que deve reinar absolutamente.

Vivemos em uma sociedade altamente consumista e os valores tornam-se secundários. Atropelar um ao outro tornou-se comum e, em vários casos, se a si mesmos, quando não há vítimas.

Um outro grande pensador místico disse que somente possui inimigos quem quer. Por outro lado, aqueles que os possuem como animais de estimação, saibam que eles podem se transformar a qualquer momento, mordendo sua reputação, lançando-os na lama das línguas. Dêem a eles todas as razões que eles precisam e fiquem sós, na cela da consciência. Basta a solidão perfumada... (Digo em um poema de minha autoria.)

Tire proveito de si mesmo com o poder imensurável do silêncio. Palavras são flechas inimigas, direcionadas ao nosso próprio coração. Quanto aos cruéis, o veneno deles é fundamental para a vacina...

Confesso que vivi, como diria Pablo Neruda, ao ler o livro que me marcou, apontando para mim o indispensável KING PERSON CROSSING.

O homem sem bens vai para casa mais leve.

E você, o que pensa?

jocarramos@gmail.com

Comentários
×