Khalil Gibran

JOÃO CARLOS RAMOS 

Khalil Gibran

Gibran Khalil Gibran (Bsharri 06/01/1883 - Nova York 10/04/1931) foi o maior poeta e pintor de origem libanesa.

Diz a crítica especializada que ele se situa como o terceiro dentre os maiores poetas de todos os tempos, seguido por Shakespeare e Lao Tzu (poeta chinês, fundador do Taoísmo). Ele publicou onze obras em árabe, oito  em inglês e foram  publicadas seis obras póstumas de sua autoria. Dentre todas, se destacou o best -seller  "O Profeta", que se tornou o livro de cabeceira dos líderes do movimento de contracultura da década de 60. Sua fama chegou ao Brasil após ter conquistado  personalidades como Lennon, Elvis Presley e outros. A estrela de Gibran estava preparada para brilhar, pois, mudando-se do Líbano para Nova York, ainda jovem, conheceu Mary Haskell, uma educadora milionária que se tornou sua mecenas. Visitando sua exposição de pinturas, foi imediatamente tocada a manter suas economias, inclusive lhe pagando um curso de pinturas em Paris com o renomado mestre Rodin, autor da célebre escultura O PENSADOR (uma homenagem ao gênio de Dante Alighieri). Ela publicou todos os seus livros em inglês e o sustentou com uma vida à altura de seu gênio. Alguns biógrafos sustentam que ela foi sua amante por quase vinte anos, deixando um número expressivo de cartas e diários e ele igualmente. Outros dizem que havia apenas uma união raríssima, envolta em amor platônico. Embora tenha vivido apenas quarenta e oito anos, deixou um legado sem precedentes na história da literatura libanesa e um marco histórico na literatura mundial.

Becharre é a cidade natal de Gibran e, após sua morte, foi construído o "Museu Gibran" no local onde ele nasceu. O lugar é de uma beleza ímpar e transmite a paz que ele inspira por meio de seus livros. Lá estão  expostas várias pinturas, livros e preciosidades de sua infância e vida adulta, bem ao lado de seu túmulo e estátua.

No livro "O PROFETA", Gibran deixou uma lição que permanece intacta e bela como as montanhas de sua terra, o Líbano:

"Seus filhos não são seus filhos. São os filhos e filhas da vida, desejando a si mesma. Eles vêm através de vocês,mas não de vocês. E, embora estejam com vocês, não lhes pertencem. Vocês podem lhes dar amor, mas não seus pensamentos. Pois eles têm seus próprios pensamentos. Vocês podem abrigar seus corpos, mas não suas almas, pois suas almas vivem na casa do amanhã que vocês não podem visitar nem mesmo em vossos sonhos. Vocês podem lutar para ser como vocês, mas não procurem ser iguais a vocês. Pois a vida não volta para trás nem espera pelo  passado. Vocês são o arco de onde seus filhos são lançados como flechas vivas. O arqueiro vê o alvo no caminho do infinito e ele curva vocês com seu poder para que suas flechas possam ir longe e rápido. Deixem que o seu curvar-se na mão do arqueiro seja pela alegria: pois mesmo enquanto ama a flecha que voa, ele também ama o arco que é firme".

jocarramos@gmail.com

Comentários
×