Kaboja sem culpa



O editorial do jornal Agora do dia 3 de janeiro, com o título “Ano Novo, velhos vícios”, citou a nomeação de uma funcionária da Prefeitura que foi exonerada e imediatamente assumiu um cargo na Câmara Municipal, como prova de velhos hábitos da nova Mesa Diretora.
Mas, o presidente, Rodrigo Kaboja (PSD), garante que a nomeação da funcionária obedeceu à solicitação de um vereador e que o pedido foi atendido pela Mesa Diretora anterior, cujo presidente era vereador Adair Otaviano, e não por ele, atual presidente.

Cleitinho: celeuma pela celeuma

Alguém avise ao deputado Cleitinho (PPS) que a eleição acabou e que ficar criando celeuma apenas pela celeuma não vai trazer obras nem verbas estaduais para Divinópolis. Primeiro, foi a pitoresca história de que o deputado queria morar no seu gabinete na Assembleia Legislativa. Uma pretensão tão estapafúrdia que obrigou o deputado a desmentir. Agora, Cleitinho desafia seus pares para debate.

Não conheço a estratégia política do deputado divinopolitano, mas, entendo que ele deveria se concentrar na pauta macro que o espera no mandato, certo de que, para cumpri-la, vai precisar do apoio de outros parlamentares: terminar e colocar em funcionamento o hospital público; duplicação da rodovia MG-050 de Divinópolis, via Itaúna, para se chegar à BR-262; liberação das verbas retidas nos cofres do Estado, tocantes à Prefeitura e que perfazem R$ 108 milhões; execução das obras previstas para o anel rodoviário de Divinópolis; verbas estaduais para saúde, educação, segurança e para atender a outras demandas.

Ponte do Realengo x Quinta das Palmeiras

O prefeito Galileu Machado (MDB), na campanha eleitoral, prometeu obras irrealizáveis, diante da calamidade financeira da prefeitura, que se agravou no Governo Pimentel (PT). Entendo que sem colocar os salários dos servidores em dia, o alcaide não vai poder cumprir algumas das suas promessas. Mas, sei que ele está tentado a construir a ponte que liga o bairro Quinta das Palmeiras ao Realengo, onde está sendo edificado o hospital público.

E certamente esta ponte terá alça, abrindo passagem para que moradores do bairro Realengo e outros tenham acesso à rua Januário de Sousa Rocha. Seria uma alternativa para que pudessem chegar ao Centro da cidade, bem mais rapidamente que passando pelos bairros Porto Velho ou Esplanada. Mas, por outro lado, aí o impacto no sistema viário será colossal, prejudicando absurdamente a mobilidade urbana.

Congestionamento na rua Januário de Sousa Rocha

A rua Januário de Sousa Rocha é aquela via que, através do bairro Esplanada, se usa para chegar à estação de tratamento de água da Copasa e ao Divinópolis Clube. No início da via, no bairro São Miguel, seu nome é rua São João del Rey. Mas esta rua já é roteiro alternativo para as pessoas chegarem à nova sede da prefeitura, Uemg, Cefet, Parque de Exposições e UFSJ. Além de todo este tráfego, é rota para se chegar ao bairro Bela Vista.

Como se pode ver, as ruas São João Del Rey/Januário de Sousa Rocha já não suportam o tráfego de veículos atual nas horas de pico e vão entrar em colapso, se a ponte ligando o bairro Realengo ao Quinta das Palmeiras for construída, sem antes pensar e resolver o impacto urbano e viário que esta obra trará para a região. Para agravar, as ruas em questão, considerando direção Centro/bairro, são limitadas à sua direita pelos trilhos da ferrovia, impossibilitando seu alargamento. Um caos urbano previsível!

Sobre o governo Bolsonaro

"A aeronave já fechou as portas e decolou; é um mau negócio, para todos, ficar torcendo para o piloto se dar mal."( J. R. Guzzo)

Dentro de duas semanas, dia 22, o presidente Jair Bolsonaro irá para a Suíça e assumirá o vice Hamilton Mourão. Bolsonaro participará do Fórum Econômico Mundial de Davos. Trump e Putin também falarão no evento. Bolsonaro conversará com ambos.

Comentários
×