Kaboja I

Adriana Ferreira

O presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Rodrigo Vasconcelos Kaboja (PSD), há pouco mais de dois meses  nos surpreendeu com a decisão da Mesa Diretora de reduzir os vencimentos dos vereadores da próxima legislatura para um salário mínimo. Decidiu ainda cortar cargos comissionados, lanches e com possível redução das verbas de gabinete, além de outros cortes. Sobre tais medidas austeras, Rodrigo Kaboja disse: “é preciso preparar a cidade para o futuro, para a realidade pós-pandemia”. O pacote visa ajudar o município na recuperação econômica em razão da pandemia do coronavírus.  No fim, ficou acertado que a redução seria de 25%.

Kaboja II

Mas eis que o mesmo Kaboja, que quer se mostrar austero, preocupado com as contas públicas, segundo o vereador Matheus Costa (CDN), está se valendo de carros oficiais e assessores para cuidar de seu cachorro de estimação. O colunista Bob Clementino postou em sua página no Facebook e Liliane Rios Guimarães, cunhada do dito vereador, tentou um “A história não é essa, procure saber melhor, por favor”. Bob imediatamente pediu que explicasse. Já se passaram horas e, até o fechamento dessa coluna, por volta das 18h, não havia se manifestado.

Não se pode esquecer que Liliane Rios Guimarães fez parte do governo Vladimir Azevedo (PSDB) e, em 2014, o Ministério Público (MP) requereu diligência para verificar possível prática de nepotismo envolvendo-a e também ao vereador-cunhado e o então prefeito (MPMG-0223.14.001700-3), porém foi encerrado, pois, segundo o MP, ela já ocupava cargos em comissão desde 2005, ou seja, no governo Demetrius Pereira (à época PSC), antes de Rodrigo Kaboja assumir cargo público.

Resumindo: Liliane Rios Guimarães tem exercido cargo comissionado desde 2005, não importando quem se senta na cadeira de mandatário-mor. Nos governos anteriores não sabemos como ocorreu a nomeação, mas na atual legislatura, conforme amplamente divulgado pela imprensa e também nas redes sociais, ela foi nomeada por Galileu (PMDB) para o cargo de  diretora de Administração da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, através do Decreto 12.376 de 02 de janeiro de 2017, dentro das  negociações que envolveram a presidência da Câmara de Divinópolis,  quando Kaboja mudou o seu voto na última hora.  Tão interessante que até me esqueci do cachorro! Já está a salvo?

 Cargos comissionados

Mas e os outros? Quantos mais vereadores da base do governo mantêm cargos comissionados?  Até quando veremos gente anoitecer no Legislativo e amanhecer no Executivo? Acorde, Divinópolis!

Poder Judiciário

Enquanto a Justiça do Trabalho realiza audiências de conciliação por meio virtual, visando, assim, à solução de conflitos mesmo durante a pandemia, a Justiça Estadual desmarca todas as audiências de conciliação, e a Justiça Federal resolve digitalizar todos os processos físicos para que passem a tramitar pelo meio eletrônico. A Justiça Federal determinou que não somente os servidores públicos, mas também as partes podem apresentar o processo digitalizado.

Ocorre que a maioria dos processos se encontra em poder do juízo, sem acesso das partes para dar mais celeridade, e é sabido que as secretarias não possuem o número de servidores e estagiários necessários para que o serviço esteja em dia e, com isso, a priorização da digitalização colocará em segundo plano a determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) constante no inciso VI do artigo 4º da Resolução 313/2020, ou seja, a apreciação dos pedidos relacionados ao pagamento de precatórios e requisições de pequeno valor.  No aguardo do posicionamento da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Molenga’s

Quando nasceu o bairro Ipiranga, junto veio um cômodo que servia sopa de galinha. Mas o dono, Tõe Beirigo, pai do publicitário Amilton Beirigo,  era tido como lento, e da reclamação dos amigos que prestigiavam-no, nasceu o nome do bar, que, como ele mesmo diz, “aproveitei o que talvez fosse um defeito e o transformei em oportunidade”. Nascia o Molenga’s Bar! Como bem disse o escritor mineiro Fernando Sabino em seu maravilhoso livro “O Encontro Marcado”, “Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sonho uma ponte, da procura um encontro”.  A admiração da coluna a toda família Beirigo. Vocês inspiram!

Comentários
×