Justa homenagem

Amanhã, logo após a reunião normal dos vereadores, por meio de uma proposição do vereador Edson Sousa (MDB), a jornalista Sonia Terra receberá uma homenagem de todos os vereadores que assinaram tal proposição, pelos seus 37 anos dedicados ao jornalismo de Divinópolis. Como testemunha ocular da história da homenageada, devo acrescentar que ela não foi somente jornalista, copy desk, repórter e outras funções correlatas ao jornalismo, mas também exerceu cargos de direção de outras áreas, como a financeira, de seção de assinantes e distribuição. Enfim, a menina que foi contratada para fazer correções, com pouco tempo aprendeu a sua função, desenvolvendo outros atributos. O Agora de 1978, quando ela foi contratada, ainda não havia comemorado o seu primeiro ano de circulação diária, e foi aí Sonia Terra mostrou todo o seu carisma e capacidade.

Pelas suas mãos...

...passaram muitos jornalistas, que entraram como free e deixaram a empresa para outros caminhos, sabendo no mínimo escrever bem, pois a exigência era muito grande. E assim, com esta benéfica influência, o Agora forjou a sua personalidade, com o comprometimento de somente publicar o absolutamente correto, inclusive no tocante ao português, esta língua muito difícil de ser domada. Ao registrar estas facetas de Sonia Terra, o faço com a tranquilidade que tive, quando por ausência obrigatória, sabia que alguém competente cuidava de tudo. Por isso, exerceu as diversas funções registradas neste texto. Edson Sousa não poderia ser mais feliz nesta escolha, numa hora tão difícil para o país e para o próprio jornalismo que está se reinventando para sobreviver.

Novos voos

Sonia não se despediu do jornalismo e, sim das funções exaustivas que desempenhava, e que já não mais permitiam que cumprisse com o seu compromisso. Sua mãe cuidou dos nossos filhos e mora conosco há mais de 30 anos, hoje necessita de sua atenção e carinho. Enquanto isso, em meio a horas espremidas do tempo, vai tricotando com amigos o seu projeto que será lançado, se possível, ainda este ano. Tudo no seu devido tempo. Ao agradecer Edson pela iniciativa, registro como marido, companheiro e amigo de Sonia Terra, o meu muito obrigado pela vida que me ajudou a construir, principalmente ao envolver todos os meus (e nossos) sete filhos.

O marreco voou...

...muito alto e longe. Marcelo Fernandes, o popular Marcelo Marreco ocupou ontem a Tribuna da Câmara Municipal para fazer uma denúncia (?) ou uma comunicação muito grave. Ele disse que, enquanto o prefeito fala em concurso para que nomeie alguém, ele, Marcelo Marreco, foi convidado por Galileu Machado (MDB) para um posto na prefeitura “sem nem ter que ir lá”, pois estava tudo certo. A acusação, que estaria em uma gravação passada aos vereadores através de um CD, poderia, sim, como disse o vereador Delano Santiago (MDB), ter sido entregue ao MP, órgão encarregado de ocorrências muito graves.

Delano escorregou...

...pois, na verdade, Marreco queria criar um fato de grande repercussão, mostrando para a cidade e região, um possível erro do atual prefeito, que, segundo alguns vereadores, poderia ser considerado como crime. O teor da denúncia e o conteúdo do CD ainda precisam ser averiguados. Delano é um político que se aprimora a cada dia, e este PB já vaticinou que dificilmente ele deixará de ser prefeito em 2020, até por ausência de candidatos com postura para ganhar dele.

Mas...

...não poderia dizer ao Marreco que o lugar certo da sua denúncia seria o Ministério Público. O vereador tem como função precípua fiscalizar as ações do Executivo, e aceitar uma denúncia é um dever.

Comentários
×