Jornal Agora e Divinaexpo, uma parceria de 50 anos

A história de um sonho que se tornou realidade nas arenas; após dois anos, Divinaexpo deve voltar em 2022

 

 

Da Redação

O rodeio sempre foi uma festa de tradição na cidade. E, desde a década de 50, já arrastava uma multidão de apaixonados pelas montarias, que, na época, eram comandadas por José Gontijo da Silva, o popularíssimo Zé Capitão, o pioneiro do rodeio em Divinópolis e no Brasil.

Com a instalação definitiva da sede do Sindicato Rural de Divinópolis, no local onde se encontra hoje, o rodeio ganhou mais força na sua trajetória dentro da própria história do município.

Parceria

Fazendo e contando a história da cidade, o Jornal Agora, que completou 50 anos no último dia 1º de junho, já dava destaque ao evento que ainda engatinhava para alçar voos mais altos e que começou a se tornar realidade em março de 1998, quando Irajá Ferreira Nogueira tomou posse na presidência do Sindicato Rural. Nessa época, houve maior aproximação deste diário com a diretoria da entidade, até que no ano de 2000 foi formalizada a parceria, que contemplou o Jornal Agora e a rádio Sucesso FM como órgãos oficiais de comunicação da maior festa da cidade. 

— Nestes anos todos, a parceria com o Agora foi muito importante para o evento, pois abriu as portas para a grande mídia. Eu só tenho que agradecer aos profissionais que trabalharam para o engrandecimento da festa. E gostaria também de parabenizar o Agora pelos seus 50 anos de luta e glória, nos quais contou a história de Divinópolis e região. E com certeza estaremos sempre juntos — destacou o presidente do sindicato, Irajá Nogueira.

Brasil

Desde o ano de 2002, Divinópolis se projetou no cenário nacional com a inclusão da Divinaexpo no calendário da Confederação Nacional de Rodeio (CNAR). Nesse mesmo ano, foi criada e implantada a logomarca da Divinaexpo, que passou a ser a identidade do tradicional rodeio. E, acompanhando toda essa evolução, o Agora e a Sucesso FM registraram cada passo e, lado a lado com a diretoria do sindicato, ajudaram a resgatar a história do chamado “rodeio”, agora um dos maiores eventos do gênero no país.

Sucesso 

Tradição. Quem tem dúvidas de que o evento, que é sucesso absoluto desde 1960, é, no mínimo, um fenômeno, provavelmente não esteve em nenhuma de suas edições. Assim, pode-se definir o que é o velho “rodeio”, hoje denominado Divinaexpo, para a população de Divinópolis, que tem o evento como sua maior festa popular. 

Durante todos estes anos, a festa se divide entre dois paradigmas, o antes e o depois da administração de Irajá Nogueira. Por isso, desde 1998, quando Irajá assumiu a presidência do Sindicato Rural, a festa ganhou nova cara e status de ser a segunda maior festa de rodeio do país e a maior de Minas Gerais. Perguntado sobre a receita do crescimento e consolidação da festa, Irajá não tem dúvidas. 

— O sucesso do evento é o de atender ao público, saber o que ele quer — disse. 

Para o presidente, só é possível atingir esse objetivo graças às parcerias e a uma equipe profissional qualificada.

 — Trabalhamos em sintonia, com cada um sabendo de seu dever profissional. E, acima de tudo, sempre prevalecendo a união e amizade — definiu o presidente.

Recordes

O presidente também destaca duas datas como momentos cruciais para que a Divinaexpo virasse o sucesso que é hoje.

— A primeira em 1999, quando houve o show da dupla Rio Negro & Solimões, fato este que veio projetar nacionalmente a festa e a dupla. A outra aconteceu no ano de 2001, com a dupla Sandy & Junior. Esses dois shows foram um marco para a história de sucesso do maior rodeio de Minas Gerais — destacou Irajá.

História

Porém para chegar a estar entre as maiores festas de rodeio do país, o evento teve que percorrer um longo caminho até encontrar sua morada no Parque da Divinaexpo.

Na década de 50, os espetáculos de rodeio já existiam na cidade. José Gontijo da Silva, o popular Zé Capitão, foi o responsável por divulgar e expandir a festa por Divinópolis, Minas Gerais, Brasil e outros países do mundo. 

Naquela época, as festas já lotavam. Muitos vinham de longe para assistir a apresentação da equipe de Rodeio Zé Capitão. Dessa forma, o então “rodeio” teve início na Charqueada, hoje bairro Manoel Valinhas. Com o crescimento, Zé Capitão adequou o campo de futebol do Divinópolis Tênis Clube (DTC) para a prática do rodeio e por lá ficou por dois anos consecutivos. 

Como o DTC também ficou pequeno, o jeito foi fazer o evento no Campo do Flamengo, onde permaneceu por três anos. Depois, mudou-se novamente para o bairro Santo Antônio, perto da Vila Belo Horizonte. Entre tantas idas e vindas, no dia 1º de junho de 1970, o Sindicato Rural de Divinópolis inaugurou sua sede no alto da avenida Paraná, onde hoje está o Parque da Divinaexpo. 

Pela primeira vez

E, quando estava tudo pronto para a realização de uma das mais esperadas edições do maior rodeio de Minas Gerais, aquela que comemoraria os 50 anos da maior festa popular da cidade, a Divinaexpo, um inimigo invisível calou o mundo e, de um dia para o outro, tudo se transformou. Em Divinópolis, uma das consequências foi que o alto da Paraná, pela primeira vez em 50 anos, ficou em silêncio, sem barraquinhas, sem ambulantes, sem a criança comendo a maçã do amor, sem os amantes do rodeio e, principalmente, sem as disputas emocionantes e os shows. 

Futuro

Mas, em breve, o parque vai voltar respirar Divinaexpo. A multidão vai se encontrar na arena do maior rodeio de Minas Gerais e vibrar com os maiores competidores do mundo da Professional Bull Riders (PBR). As famílias estarão juntas na tradicional Queima do Alho e no Rancho do Peãozinho a criançada vai encontrar uma minifazenda com atrações diversas que têm como lema: “A diversão para a educação”. 

— Já começamos a mexer o doce e com certeza nos encontraremos em breve — finaliza Irajá Ferreira Nogueira.





Comentários
×