Jogou a toalha muito cedo

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Tudo bem que algo precisava mesmo ser feito para que o Atlético entrasse novamente nos trilhos, mas as atitudes da diretoria e da nova comissão técnica alvinegra dão a clara impressão é de que todos lá pelas bandas da Cidade do Galo “jogaram a toalha” de vez, já não esperam mais nada deste time para o restante da temporada. E muitos foram e ainda são os sinais que atestam esta verdade.

Começou no comando 

E os sinais começaram a se desenhar quando a diretoria decidiu mudar o comando técnico. Tudo bem que não gostar do trabalho do Roger Machado seja um direito do presidente alvinegro, Daniel Nepomuceno, mas daí a colocar em seu lugar o Rogério Micale vai uma grande distância. Micale é uma incógnita, uma aposta que pode ou não dar certo. Foi mais um tiro no escuro.

Medalhões no banco

O segundo passo que mostra o estado em que se encontram as coisas pelas bandas do Atlético, fica claro quando o novo comandante resolve peitar os ‘medalhões’ e manda logo de cara os dois maiores salários do clube para o banco de reservas. Ao barrar Robinho e Fred, de uma tacada só, o Micale arrisca é a vida... Dando certo receberá inúmeros tapinhas nas costas... mas se for o contrário, assumirá as responsabilidades pelo fracasso em toda a temporada... Simples assim...

Rafael Carioca 

E para fechar com ‘chave de ouro’ as asneiras que vem cometendo, a diretoria decide abrir mão de um de seus jogadores titulares em meio à temporada. Tudo bem que o Rafael Carioca já não fosse o mesmo de início na Cidade do Galo, mas ainda assim era o único que vinha se salvando neste meio campo. E agora, sem ele, qual vai ser a opção de Micale?

É! O que estava difícil pode ficar ainda pior...

MANGUEIRAS BRASIL

De olho no retrovisor

Falando ainda de Atlético, vai aqui um conselho. Ninguém está querendo jogar mais lenha na fogueira, mas é bom que todos lá pelas bandas de Vespasiano (Cidade do Galo) fiquem de olho é nos números da tabela. Pelo que vem rolando neste final de temporada, é bom ter um olho no peixe e outro no gato. Mirar sim o G-6... É mais que um direito, é um dever dos alvinegros... Mas não pode se descuidar também do retrovisor, e cuidar para não ir parar é no Z-4... Aí sim seria um deus nos acuda...

São os números

E não adianta ninguém reclamar... Olhando friamente a tabela, os números atestam esta verdade. Hoje, o Atlético está sim a apenas quatro pontos do 6º colocado, o Cruzeiro, mas também é verdade que está a apenas três pontinhos do São Paulo, que é o primeiro na linha de rebaixamento. Aí, como fica? Contra números não há argumentos...

Sem sustos

Mas que ninguém entre em desespero, antes da hora. A situação ainda está sob controle. Time, e elenco, para sair desta enrascada, para brigar na parte de cima da tabela, o Atlético tem de sobra, e não deve correr grandes sustos até o final do ano. O que não pode acontecer é ficar neste chove não molha, como se desse para resolver as coisas como e quando bem entender. Não é por aí não...

Um campeonato maluco

 Os números do Campeonato Brasileiro 2017 são para deixar maluco qualquer “entendido” de futebol. E isto em todos os sentidos. Para começo de conversa, o time que lidera com sobras a competição, é comum, e está é tirando água de pedra. Não dá nem para explicar, quando menos entender, como um time limitado como o atual Corinthians consegue as proezas que conseguiu. Se alguém tem uma explicação, que fale então...

E não para por aí, não... as diferenças, em pontos, entre todos os outros concorrentes é tão maluca, que um time pode ir do céu ao inferno em questão de apenas um jogo... Isto mesmo – um, dois, três pontinhos estão e vão fazer muita diferença até a última rodada...

Quem aí aposta nos rebaixados?

Tirando o Atlético de Goiás, que caminha a passos largos para voltar à Série B, hoje não dá nem para cravar quais serão os times que serão rebaixados ao final da temporada. Tem muita gente boa que está com os cabelos em pé na atual situação... e é bom que fiquem alertas mesmo!

E os classificados para a Libertadores?

Com o G-6 podendo ser um G-7 e até mesmo um G-8, o campeonato deste ano vai manter muitos times brigando, rodada a rodada, por uma posição entre os primeiros, com vaga garantida no torneio continental em 2018. Hoje, quem lá está que trate de segurar a posição, porque muita coisa ainda vai mudar... são muitos os concorrentes a fungar no seu cangote. Simples assim!

Comentários