Janete Aparecida: a dúvida entre ser fiel ao PSD ou ao deputado Jaiminho, do Pros - I

 

Explico: a vereadora Janete Aparecida (PSD) é do grupo de sustentação política do deputado Jaiminho Martins (Pros) e com seu apoio se elegeu presidente do PSD em Divinópolis. Jaiminho está articulando para ser candidato a vice-governador de Minas. Tudo estava tranquilo, enquanto havia a possibilidade de o PSD (partido em que Jaiminho estava filiado) compor a chapa majoritária encabeçada pelo ex-prefeito de BH, Márcio Lacerda (PSB). Porém, com a pré-candidatura do tucano Anastasia posta, o quadro mudou radicalmente. É que a executiva do PSD em Minas fechou apoio ao ex-governador e escolheu o deputado federal Diego Andrade (PSD), e não Jaiminho Martins, para pré-candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo tucano. Diante dessa realidade, Jaiminho Martins se filiou ao Pros e lá continua tentando se viabilizar como vice- governador na chapa de Márcio Lacerda.

 Janete Aparecida: a dúvida entre ser fiel ao PSD ou ao deputado Jaiminho, do Pros - II 

Diante do quadro político/eleitoral exposto, a situação política e partidária da edil Janete Aparecida se complicou. Hoje, ela é presidente municipal do Partido Social Democrático (PSD), que está apoiando a candidatura tucana e que não quis Jaiminho Martins como vice, optando por pelo deputado federal Diego Andrade.

Jaiminho já filiou-se ao Partido Republicano da Ordem Social (Pros), que vai apoiar Márcio Lacerda (PSB), e a vereadora está isolada lá no PSD. E aí, ela terá de decidir: como presidente do PSD em Divinópolis, vai ser fiel ao PSD ou ao Jaiminho (Pros)?

 A resposta da presidente do PSD: sugere a infidelidade partidária 

No Facebook, a vereadora e presidente do PSD me respondeu: “Caro amigo Bob Clementino, obrigada por me dar a oportunidade de esclarecer sobre isso em um post tão bem quisto e acessado. Tenho uma enorme admiração pelo amigo e deputado Jaime Martins que vai muito além de questões partidárias. Não tenho nenhum convívio com o deputado Diego Andrade, mas por ele tenho respeito como presidente do partido.

Fui convidada e eleita para presidência do PSD, a qual aceitei com responsabilidade e afinco, como faço em tudo na minha vida e a isso darei segmento. Quanto às questões de apoio majoritário, deixo claro que há ainda um grande caminho a seguir. E vou além, caso o PSD coligue com o PSDB, não significa que esta vereadora tenha que apoiar o candidato, se não julgar ser o melhor para o Estado. Não existe fidelidade partidária que me obrigue a isso. Mais uma vez reafirmo que seguirei meus princípios, meu coração e amor ao meu Estado. Pois acredito veementemente que pessoas são maiores que partido. Aguarde e verá. Estou sempre à disposição”.

Na minha opinião, Janete, que é presidente do PSD, está estimulando a infidelidade partidária.

 Márcio Lacerda escolhe um vice de “mais fácil trato” e menos “cabeça-dura” que Jaiminho 

- Pré-candidato a governador, Marcio Lacerda, segundo pesquisa feita pelo jornalista Marcelo da Fonseca/O Tempo, é conhecido por apenas 22% da população do estado. E esse conhecimento está concentrado na região metropolitana. Por isso, Marcio Lacerda quer um vice do interior de Minas.

 

- No fim do ano passado, o PSD chegou a informar em reuniões partidárias que o deputado federal Jaime Martins iria concorrer ao comando do Estado. Mas, segundo a jornalista Fransciny Alves, um interlocutor ligado ao processo de construção de candidatura disse que Marcos Montes teria a preferência por parte do PSB para ocupar a vaga por ser de “mais fácil trato” e menos “cabeça-dura” que Jaiminho.

Comentários
×