Jaiminho defende aplicativos de projetos de iniciativa popular

 

 

Da Redação  

Aplicativos e plataformas digitais que permitem a apresentação de projetos de iniciativa popular e o acompanhamento da atuação parlamentar foram expostos em audiência pública na Comissão de Legislação Participativa da Câmara na quarta-feira, 20. As informações são da assessoria de comunicação do deputado federal Jaiminho Martins (Pros). 

O parlamentar de Divinópolis afirma ser um entusiasta do tema e defendeu o debate sobre a legislação. Jaiminho considera importante que a Câmara aprove propostas que permitam a coleta de assinaturas eletrônicas de eleitores para a apresentação de projetos de lei de iniciativa popular. 

— É o caso do PL 7005/13, que já consta na pauta do Plenário, mas ainda não foi votado. Quanto mais fiscalização, transparência e participação popular nas decisões do Congresso, melhor — avaliou o deputado. 

Conforme destaca o parlamentar, desde a Constituição de 1988, quando foi permitida a apresentação de projetos de lei pelos cidadãos, nenhum projeto foi de fato apresentado como iniciativa popular. 

— Estamos em 2018, em uma nova era de informações, debates e propostas, precisamos agir sintonizados e essa forma de democracia direta é muito importante — destacou. 

Jaime também citou o exemplo do projeto da “Ficha Limpa”, que chegou à Casa como proposta de iniciativa popular, mas a Câmara não tinha possibilidade de verificar as assinaturas. 

— Essa proposta tramitou apensada a uma iniciativa minha e, com certeza, a força popular foi fundamental para que o projeto fosse aprovado. Tomando isso como exemplo, entendo que o espírito original desse mecanismo de democracia direta, por meio dos aplicativos, pode e deve ser importante e levado em consideração nas votações e propostas em debate no parlamento — afirmou. 

Atualmente, a Constituição exige que o projeto de iniciativa popular seja subscrito por, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, distribuído por pelo menos cinco estados. 

Uma das propostas em debate no Congresso que também trata do tema no Congresso é o Projeto de Resolução 317/18. A proposta permitirá que a sugestão de um cidadão apresentada nos canais de participação popular, com o apoio de 20 mil assinaturas, transforme-se em projeto de lei, caso seja aprovada pela Comissão de Legislação Participativa. 

Segundo a Diretoria de Inovação e Tecnologia da Informação da Câmara, a Casa também desenvolve plataforma para a apresentação de propostas de iniciativa popular via digital, que, para ser disponibilizada, estaria aguardando a aprovação da lei que permita a possibilidade. 

 

 

Comentários
×