Jaime volta atrás e será vice de Tolentino

Chapa foi oficializada ontem, em transmissão pelas redes sociais; Galileu terá Cleo Dnar como vice

Matheus Augusto

O cenário político em Divinópolis tem sofrido algumas alterações nas últimas semanas. Com o fim do prazo para a realização das convenções partidárias, os partidos precisam se articular para definir os nomes para a disputa das eleições neste ano. A mudança mais recente foi a volta de Jaime Martins (DEM). Desta vez, porém, como vice de Fabiano Tolentino (CDN). A chapa foi oficializada ontem. 

Vai e volta

Desde o início, o cenário que vinha se desenhando era Jaime liderando a chapa e Fabiano como seu vice para a disputa da Prefeitura. Durante o anúncio, contou Tolentino, seu intuito era de abrir mão de ser cabeça de chapa para ser vice. Segundo ele, duas candidaturas independentes dividiam os votos, tendo em vista a similaridade dos eleitores e do plano de governo.

Tudo mudou em 9 de setembro, quando o ex-deputado federal por seis mandatos comunicou que não seria mais candidato por razões pessoais. 

— Para mim, foi um susto, eu não estava esperando — contou Tolentino.

Desde o anúncio, ele buscou encontrar o nome ideal para compor a chapa. O mais cotado era o da atual presidente da Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Divinópolis (Acid), Alexandra Galvão. Após análises, avaliou que a presença de Alexandra em conselhos da cidade poderia a impossibilitar de integrar a chapa.

Tolentino, então, decidiu retribuir o convite e chamar Jaime para ser seu vice.

— Às vezes, as coisas estão no nossa lado e a gente não vê — comentou.

Reflexão

Jaime revelou que sua pré-candidatura a prefeito nasceu do deseja de solucionar os problemas por ele identificados, “que não podem mais ser adiados”.

— De fato, eu andei namorando a ideia de ser candidato a prefeito porque tenho consciência de que a nossa cidade precisa melhorar. As coisas não estão indo bem — justificou.

Ele contou se sentir incomodado em ver as cidades vizinhas avançarem enquanto Divinópolis permanece estagnada.

— São cidades irmãs e, portanto, queremos o bem delas, mas não podemos observar Divinópolis ficar para trás — comentou.

Ao ver o crescente número de concorrentes à Prefeitura, Jaime, entretanto, teve dúvidas se sua candidatura era realmente necessária e se ele era peça fundamental para fazer esse enfrentamento. Determinado a retirar seu nome da disputa, sua intenção era de repassar seu plano de governo a Tolentino, como ideias para modernizar a cidade e colocar o Hospital Público Regional em funcionamento. Mas a história não terminaria aí.

— Quando eu anunciei minha saída, recebi apelos e isso começou a me balançar um pouco — detalhou.

Os apelos surtiram efeito e, ontem, ele anunciou aceitar o convite de Tolentino para ser seu vice.

— Vamos em direção à vitória, que não é a vitória do Jaime ou do Fabiano. O que nós precisamos e pretendemos e que seja um vitória de Divinópolis, das pessoas que habitam e moram aqui, para construir uma cidade melhor — finalizou.

Ao fim da transmissão, o pré-candidato a prefeito propôs que seu vice doe o salário, mensalmente, às instituições de caridade em Divinópolis, tendo em vista a impossibilidade de extinguir a remuneração do cargo. Fabiano também prometeu, caso assuma, a dissolução da estrutura do gabinete do vice, estimada em 11 profissionais.

Na briga

A última a confirmar a presença na disputa para a Prefeitura foi Iris Cristina da Silva Moreira. A empresária do ramo alimentação e gastronomia se classifica como “ambientalista, defensora da saúde animal e com grande atividade social em todos os setores”. 

Segundo ela, sua entrada na política coincide com o atual momento crítico, “quando nossos atuais representantes amargam a indignação da população.” A pré-candidata promete defender os direito dos das mulheres e a liberdade soberana do cidadão.

— Assessorei diversos políticos e hoje trago um diferencial para encurtar as distâncias entre o poder público e a população, com um só compromisso: fazer o melhor capítulo da história política de Divinópolis, de forma inteligente, transparente e eficiente — explicou.

Dar voz

Will Bueno (PP) foi confirmado como candidato a prefeito de Divinópolis. Seu vice será o empresário do ramo de estética e graduando em arquitetura e paisagismo Douglas Maia. A oficialização veio nesta terça-feira, 15, durante a convenção, no bairro Terra Azul. Segundo o partido, cerca de 80 pessoas participaram do evento, “todas respeitando as normas sanitárias de distanciamento e uso obrigatório de máscaras”.

— Estou muito feliz por dar mais esse passo em uma caminhada que só chegará à sua conclusão com a transformação de Divinópolis, fazendo da cidade mais moderna e inclusiva para todos — disse.

Ele também comentou sobre a escolha de Douglas Maia como vice. 

— Foi uma tarefa árdua e o Douglas cumpriu todos os pré-requisitos, passou nesse processo de seleção. Ele tem a coragem para se juntar ao nosso time nessa caminhada e possui as qualidades necessárias para agregar ao projeto, trazendo uma visão de cuidado com a cidade de Divinópolis que é fundamental nesse momento — pontuou.

Além de suas obrigações tradicionais, explicou em nota, Douglas é o responsável por encabeçar um plano de revitalização do município ao longo dos próximos anos.

Em sua fala durante a convenção partidária, o vice Douglas Maia destacou: 

— Se eu pudesse resumir em uma palavra a maior reclamação, a maior frustração das pessoas com relação a Divinópolis, seria descaso. Uma cidade abandonada, lixo espalhado por toda parte, nos espaços públicos, praças e áreas de lazer. E o que eu quero é usar todo meu talento, meu conhecimento e vocação para deixar nossa cidade bela novamente. Fazer com que os divinopolitanos voltem a ter orgulho de cada canto, de cada bairro da nossa Divinópolis encantadora — discursou.

Lixo na rua, dinheiro no lixo

Como já havia declarado Will anteriormente, um de seus objetivos é utilizar sua experiência no meio político para evitar que a Prefeitura perca recursos por negligência diante da burocracia. O tema voltou a ser abordado por ele durante a convenção.

— A partir de 1º de janeiro, serão mais de cinco mil municípios que vão disputar verbas para o saneamento básico. Divinópolis pode conseguir de R$ 300 a 400 milhões. Mas, para isso, precisamos de projetos. Quem for gerir a cidade deverá saber o que tem de ser feito já no primeiro dia, o projeto tem que estar pronto no primeiro semestre, porque senão a oportunidade vai passar e corremos o risco de perder todos os anos seguintes. Nós não podemos mais perder oportunidades de verbas por falta de qualificação, por falta de projetos e falta de gente qualificada na Prefeitura. Quem vai assumir a Prefeitura não pode colocar o futuro da cidade em risco — alertou.

Apenas a dupla

O encontro do Progressistas marcou apenas a apresentação da chapa para prefeito e vice. O partido optou por não concorrer às cadeiras da Câmara. A decisão foi justificada por Will.

— Nós não acreditamos na eficiência do sistema político-partidário brasileiro. A partir do momento em que o partido tem uma chapa de vereadores, todos os demais vereadores são oposição à gestão. E isso é o oposto do que a administração municipal precisa. A chapa de vereadores que esperamos é uma composta por todos os vereadores eleitos, pois todo e qualquer projeto para a cidade vai ser promovido em conjunto com a Câmara dos Vereadores. Nosso intuito é inovar em todos os aspectos e modernizar a política em Divinópolis — garantiu.

Nomes

Finalizado o prazo para as convenções partidárias, o cenário político para a disputa eleitoral terá, em ordem alfabética, os seguintes concorrentes: Fabiano Tolentino (CDN), Galileu Machado (MDB), Gleidson Azevedo (PSC), Iris Moreira (PSD), Laiz Soares (Solidariedade), Maria Helena (PT), Marquinho Clementino (Republicanos), Sargento Elton (Patriotas) e Will 

Bueno (PP).

Vice 

Também ao fim do período das convenções, estipulado pela Justiça Eleitoral, todos os candidatos à Prefeitura apresentaram seus vices. Ontem, além de Fabiano Tolentino ter confirmado Jaiminho, o prefeito e pré-candidato Galileu Machado, o último, anunciou o seu. É Cleo Dnar Mesquita Júnior, fundador do Bloco do Cléo, que há cerca de dois meses foi exonerado de cargo que exercia na Prefeitura. 

Comentários
×