Jaime Martins também desiste de candidatura

 

Da Redação

O deputado federal Jaime Martins (Pros) anunciou ontem, 23, a desistência de sua candidatura do Senado. O anúncio foi feito dois dias depois de o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda comunicar o fim de sua candidatura do Governo de Minas. Jaime informou por meio de uma carta aberta, que a decisão de não participar das eleições este ano foi pela desistência de Lacerda. Jaime disse que a candidatura foi destituída “de maneira sorrateira e covarde um projeto livre, de espírito público republicano, de renovação, de um novo caminho por Minas”.

Após o anúncio da desistência de Lacerda de sua candidatura, o seu grupo político, que é formado por PSB, Pros, Podemos, PDT, PV, MDB e PRB afirmou na quarta-feira, 22, que iria lançar um candidato ao Governo de Minas. As negociações começaram cedo, e o deputado estadual Adalclever Lopes (MDB) e Jaime chegaram a ser confirmados na chapa da coligação. Segundo o presidente do MDB, Saraiva Felipe, não havia possibilidade de o grupo não disputar o governo com outro nome após a desistência de Lacerda.

— Tiramos a decisão de marcharmos juntos em torno de uma terceira via — afirma.

A comunicação oficial dos nomes seria feita na manhã de ontem, mas todos foram pegos de surpresa com a desistência de Jaime. Com a saída do deputado federal das eleições de 2018, a coligação “Minas Tem Jeito” confirmou o nome de Adalclever Lopes como cabeça da chapa. O deputado estadual foi escolhido, após Jaime recusar encabeçar a chapa. Adalclever afirmou que o projeto político encabeçado por Marcio Lacerda está mantido, inclusive o plano de governo será exatamente o mesmo. Os partidos estão em busca de uma mulher para ocupar o posto de vice. De acordo com a coligação, o anúncio completo da chapa será feito na próxima segunda-feira, 27. A aliança tem ainda a vaga para o Senado em aberto.

Mudanças

A situação do ex-prefeito de Belo Horizonte estava indefinida desde a decisão do Diretório nacional do PSB em apoiar o PT. Com a aliança, o partido apoiaria a candidatura de Fernando Pimentel (PT) e Lacerda seria candidato ao Senado.

A candidatura do ex-prefeito chegou a ser aprovada no dia da convenção do partido, mas a convenção nacional, realizada no dia 5 de agosto em Brasília, anulou o resultado do diretório estadual. Apesar da anulação, Márcio Lacerda fechou um acordo com o MDB e registrou sua candidatura, Adalclever como seu vice.

O PSB de Minas entrou com pedido de impugnação do registro de candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

Namoro

Jaime Martins começou a ser sondado para ser vice na chapa de Lacerda em fevereiro. No dia 1º de junho, aniversário de Divinópolis, o anúncio de Jaime como vice na chapa chegou a ser feito, mas a situação mudou com a judicialização da campanha do ex-prefeito de Belo Horizonte e o deputado federal lançou sua candidatura ao Senado.

Comentários
×