Jaime e Lacerda

Até parece que este colunista e o amigo Bob Clementino, que também emite opinião neste diário, combinamos de falar sobre o futuro do deputado federal Jaime Martins (Pros). Apesar do anúncio, ele não será vice de ninguém, porque Marcio Lacerda (PSB), que seria candidato ao governo, (embora contrariado) será vice de Ciro Gomes (PDT) e o nosso deputado ficará de calça nas mãos, pois não pode recuar. Como Jaime passou o bastão rumo ao Planalto para o filho Bruce Martins, assumir uma campanha para governador seria loucura, pois teria pela frente Anastasia e Pimentel, ambos com muito mais recursos, popularidade e apoio. Tudo indica que Jaime vai esquentar o banco de candidatos ao governo municipal em 2020, alavancando força e tempo, para a campanha do herdeiro. 

Minha favorita 

Quem conhece “A Favorita”, bistrô de BH, sabe que não é, digamos, local para pobres mortais. Por ali transitam apenas o que se costuma chamar de nata da sociedade. Gente “mais ou menos” passa por lá apenas para conhecer, gastar alguns trocados e sair rápido, pois alta gastronomia custa caro. No fim de semana, a ex-presidente foi apreciar os bons vinhos, depois de quase 40 anos ausente da vida normal em Belo Horizonte e, num momento de rara infelicidade, “teria sido” homenageada por um serviçal com uma sobremesa personalizada. 

Nada anormal... 

...não fosse ela Dilma Rousseff defenestrada do poder por atos não tão republicanos e o proprietário do restaurante — depois que as redes sociais se arvoraram e fizeram a maior algazarra contra a presença da moça no local — teve de ir a público se desculpar em gravação nas redes sociais. Como sempre, a culpa recaiu sobre o mordomo, claro! 

O raro acontecimento... 

...mostra como os mineiros que testemunharam a homenagem não hostilizaram Dilma, e deram exemplo de civilidade e respeito. Se ela for candidata ou não ao Senado, isto é outro assunto, mas o fato de ter aparecido assim, do nada, já é referência de interesse. 

O PT do governador... 

...Pimentel vive agruras com a falta de dinheiro, ausência de administração ou de gente competente ao seu lado. Ele não fala nada e não faz nada que se possa qualificar como obra de governo. Parafraseando Lula, “nunca antes neste país Minas Gerais teve um governo tão insosso”. Não se abre, visita apenas cidades governadas por petistas e só faz reuniões fechadas. Terá um bom tempo de TV para a campanha, é bom esperar para saber as suas intenções, já que as promessas de 2014 foram literalmente para o ralo da história dos factoides políticos. 

Indecência! 

Pode isto, Arnaldo? Claro que não, a regra é clara, ninguém pode receber salários acima dos ministros do Supremo — ele diria. Para quem não sabe, é bom esclarecer: os funcionários públicos conseguiram ao longo do tempo uma série de regalias em forma de biênio (mais 2%), triênio (mais 3%) e quinquênio (mais 5%) sobre o tempo trabalhado. Assim, quem completar 20 anos de serviço terá, automaticamente, 20% a mais no salário, e isto é o que arrebenta com a folha salarial de estados, município e união, pois se transformou em crescimento vegetativo. Existia também, além das férias anuais, as “férias prêmio” (seis meses) a cada dez anos de serviço. Um dia, alguém pensou numa fórmula miraculosa: transformar esses seis meses em dinheiro. No início, o governo foi pagando, mas viu que a conta não ia fechar. 

Desde então... 

...esse tempo de seis, 12 e 18 meses voltou a ser contado apenas para a aposentadoria. Isto quer dizer que quem não entrasse nas ditas férias prêmio, a aposentadoria seria possível em 28 anos e meio, e não em 30. E agora o Tribunal de Justiça de Minas entendeu que é melhor receber o dinheiro de que trocá-lo em aposentadoria e, por isso, alguns desembargadores já receberam mais de R$ 500 mil só de férias prêmio. Neste embalo, o efeito cascata caiu para outros tribunais e virá para todas as classes, afinal os funcionários são filhos do estado (ops!) de Deus! Como resultado, a quebradeira desta vez parece que será ampla, geral e irrestrita! Indecente? Deixa...

Comentários
×