Já‌ ‌passou!‌

Leila Rodrigues

E quando chega a quinta-feira a gente revira as lembranças para trazer à tona aquele #tbt de respeito, aquele dia ou aquela noite que valeu a pena, que foi inesquecível ou que você daria uns trocados para viver outra vez.

Para quem ainda não sabe, o termo TBT significa “Throwback Thursday”, que pode ser traduzido do inglês para quinta-feira do retorno ou regresso. É uma sigla utilizada pelos usuários de redes sociais para marcar fotos que se referem ao passado, que trazem saudades, simbolizada por #tbt.

Recordar é viver! Refazer a trajetória, pensar em tudo que construímos e conquistamos até aqui nos fortalece para seguir em frente.

 O que mesmo você precisa lembrar? Lembrar que já foi jovem? Que já foi bonita ou bonito, desejada, vigoroso ou gostosa? Lembrar suas vitórias e conquistas? Lembrar as viagens que fez, as músicas que ouviu ou os amores que viveu? Pode ser!

 Você também pode lembrar que já foi insegura, ciumento, indeciso, complexada, aventureira, inconstante e sonhador!

 Ou seja, lembrar o que não deu certo, o que não saiu como você esperava ou o que foi mudado pelas circunstâncias.

Você pode escolher lembrar o que quiser, pode se lembrar da sua infância ou do seu jantar da semana passada. Não importa quanto tempo tenha acontecido, “aquele trem já passou”.

De toda forma, para quê servem as lembranças, senão para nos darmos conta do presente? 

Lembrar não nos dá a possibilidade de viver novamente. Lembrar é apenas se permitir viajar na sua história. Afinal de contas, se foi bom ou ruim, já foi vivido, já se tornou história e o tempo já tratou de colocar tudo no seu verdadeiro lugar. Esta viagem só será boa quando conseguirmos vê-la com ternura, com orgulho ou com a certeza do aprendizado.

Viver de lembranças é viver preso ao que não tem mais volta. Viver sem lembranças é fingir que o ontem não existiu.

Seja qual for a sua lembrança, não dá para voltar no tempo e refazer a sua história. Mas dá para recomeçar agora e construir um novo fim.

 Uma das características da maturidade é gostar de olhar para trás. Somos chamados de saudosistas quando dizemos “no nosso tempo”.

O nosso tempo ou naquele tempo, como costumamos dizer, hoje é memória, viagem, poesia. Lembranças que guardamos “debaixo de sete chaves dentro do coração, mesmo que o tempo e a distância digam não”.

 Tem coisas que só quem viveu sabe decifrar. Esse é o nosso grande segredo! Na próxima quinta-feira, lembre-se de algo que você viveu e que vale a pena recordar! E tenha o seu #tbt particular.

leila.palavras@gmail.com

Comentários
×