Itens para festas juninas estão com preços menores

 

Jorge Guimarães

Pamonha, caldo de mandioca, milho-verde cozido, cocada e outras receitas típicas das festas de junho e julho ganham um atrativo a mais neste ano. Isso porque a maioria dos produtos mais consumidos nesta época apresentaram queda de preço no atacado do entreposto de Contagem da CeasaMinas. No comparativo de 1º a 17 de junho deste ano, em relação ao mesmo período de 2018, ficaram mais baratos a batata-doce (-25,4%); o coco seco (-25,3%); a mandioca (-18,8%); o gengibre (-15,6%); o milho-verde (-15,1%) e o milho-pipoca (-7%).

Na trajetória inversa, ficaram mais caros o amendoim, cujo quilo passou de R$ 5,34/kg para R$ 14,93, e o feijão, que variou de R$ 3,40/kg para R$ 4/kg.

Condições climáticas

Batata-doce e coco seco são exemplos de produtos cujas ofertas foram favorecidas pela melhoria das condições climáticas, principalmente nos últimos 60 dias. A explicação é do chefe da Seção de Informações de Mercado da CeasaMinas (Secim), Ricardo Fernandes Martins. Segundo ele, vários hortigranjeiros que estavam mais caros no início do ano também vêm apresentando recuos de custo pelo mesmo motivo. No caso do milho-verde, o prolongamento do período chuvoso ajuda a explicar a redução do valor. Já o preço mais atrativo da mandioca pode ser atribuído ao aumento da produção, que, por sua vez, foi estimulada por altos custos de safras anteriores.

Preços

A reportagem esteve em um supermercado na manhã de ontem e levantou os preços da canjica branca, amendoim comum, amendoim torrado e moído, canjiquinha, e do milho de pipoca. Os custos continuam os mesmos do início do mês, menos o do milho de pipoca, que pode ser encontrado a partir de R$ 2,59, em embalagens de 500gr.

Já a batata-doce estava a R$ 2,29, a mandioca sem casca saía a R$ 5,99, e a com casca, R$ 2,99. O gengibre, embalagem de 400gr, era comercializado a R$ 2,40, e o milho verde, em bandeja com três unidades, era vendido a R$ 3,99. 

Como pode se notar, certos itens já tiveram baixas nos preços. A tendência é dos custos se manterem por mais alguns meses, segundo o gerente Walter Wagner.

— Estes itens, que têm maior saída por causa das festas de junho e julho, devem continuar com os preços estáveis e até mesmo com baixa em alguns produtos. E como temos um grande mix de produtos e fornecedores, nossos clientes podem ter certeza que terão uma variedade de produtos para sua melhor escolha — avaliou o gerente. 

Comentários
×