Investida contra sarampo

Segundo caso suspeito na cidade foi registrado terça-feira; primeira ocorrência foi descartada

Matheus Augusto

Uma doença “extinta” reapareceu no Brasil, causando apreensão nos órgãos de Saúde do país. Em Divinópolis, por exemplo, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) não registrou nenhum caso de sarampo no ano passado. Neste, no entanto, duas suspeitas já apareceram. A primeira já foi descartada e a segunda ainda não teve seu resultado divulgado.

Casos

A segunda suspeita da doença em Divinópolis foi registrada nesta terça-feira, 1º, na unidade de saúde Central. A Prefeitura não informou a idade do paciente atendido.

Em coletiva, o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, disse que, apesar de a cobertura vacinal na cidade estar dentro do exigido pelo Ministério da Saúde (MS), a preocupação ainda existe em virtude do alto fluxo de pessoas na cidade.

— Como deve ser de conhecimento de toda a população, porque até a imprensa nacional já divulgou, o Brasil voltou a ser um país com incidência de sarampo e Divinópolis tem uma cobertura vacinal dentro do preconizado pelo Ministério da Saúde. Porém, a gente não descarta [a possibilidade de novos casos] porque nós somos uma cidade por onde muita gente passa, viaja — explicou.

Sobre o caso suspeito registrado na cidade na terça-feira, Amarildo ressaltou que foi feito o procedimento padrão para garantir a segurança de outros pacientes.

— Como foi atendida uma pessoa com suspeita de sarampo na unidade de saúde Central, nós fizemos o procedimento padrão de prevenção, que é fechar a unidade por duas horas e fazer a desinfecção para que não haja a possibilidade de contaminação aos demais usuários — detalhou.

Ainda segundo Amarildo, o próximo passo é verificar se pessoas próximas ao paciente foram contaminadas.

— A Vigilância Epidemiológica faz a notificação e a investigação, tanto com a família quanto com os vizinhos no entorno onde a pessoa mora — informou.

Campanha

Diante dos surtos de sarampo que vêm sendo registrado no país neste ano, o Ministério da Saúde dá início, na próxima segunda-feira, 7, à campanha nacional contra a doença. O intuito é aumentar a cobertura vacinal dos grupos mais vulneráveis, segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

— Neste ano, a estratégia de imunização será realizada em duas etapas, que contemplarão os grupos mais acometidos pela doença, com o objetivo de interromper a circulação do vírus do sarampo no Brasil — informou a secretaria.

Segundo o ministério, entre os dias 7 e 25, as unidades de saúde recebem as crianças de seis meses e menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Na primeira fase, o Dia D de mobilização está marcado para o dia 19. A segundo etapa tem início no dia 18 e se estende até o dia 30 (Dia D). Neste período, as vacinas estarão disponíveis para as pessoas com idade entre 20 e 29 anos.

Cobertura

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou ontem o boletim epidemiológico da doença. A Regional de Saúde em Divinópolis recebeu 203.402 doses da vacina triviral (caxumba, sarampo e rubéola). Dessas, apenas 43.796 foram aplicadas, representando 21,5% do total. Em todo o estado, a média entre doses distribuídas e aplicadas está em 31,7%.

Os dados levam em consideração o período de 1º de janeiro até 30 de setembro.

Comentários
×