Internações por SRAG aumentam exponencialmente em Divinópolis

 

Da Redação

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por meio da Vigilância em Saúde, informou que o número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) aumentou 971% em 2020, comparado ao ano anterior. Os dados equivalem até este sábado, 11, e foram registrados pelas seguintes unidades de saúde do município: hospitais Santa Lúcia, Santa Mônica, São João de Deus, São Judas Tadeu e UPA Padre Roberto.

A síndrome gripal é caracterizada no indivíduo que apresente: dispneia/desconforto respiratório; pressão persistente no tórax; saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente; coloração azulada dos lábios ou rosto. Em crianças além dos sintomas apresentados, observam-se os batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.

Dados da semana Epidemiológica 28

Entre os 300 pacientes internados até a última semana, 192 foram hospitalizados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o que corresponde a 64% dos casos. Em relação à residência dos pacientes, 59% são de Divinópolis.

No que diz respeito ao quadro clínico, 179 pacientes foram recuperados, 85 morreram, 34 continuam hospitalizados e duas pessoas foram transferidas para outro município.

Em relação às doenças, um caso foi confirmado pra Influenza, um caso foi por agente etiológico, isto é, por um parasita, 104 casos foram confirmados para covid-19 e outros 183 não foram especificados. Onze casos ainda aguardam resultado laboratorial.

Segundo o secretário Municipal de Saúde, Amarildo Sousa, a pandemia de coronavírus é responsável pelo aumento expressivo.

— Nos últimos quatro meses, o coronavírus agravou o quadro da síndrome, pois seus sintomas são compatíveis, além de a doença representar mais de um terço de casos totais de SRAG no município. Mais uma vez, contamos com a contribuição da população em respeitar as medidas sanitárias para frear o número de internações — conclui o secretário.

 
Comentários
×