Insumo para o vestuário tem  variação de 126%

 

 

Pablo Santos 

 O monitoramento do desempenho do setor da confecção do Núcleo de Pesquisas do Vestuário (Nupev) do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais revelou variações de 126% dos insumos. Pesquisou-se algumas lojas de varejo de aviamentos, equipamentos e máquinas de costura encontrando-se os valores mínimos e máximos, além dos preços médios e a variação percentual dos valores. 

De acordo com a pesquisa, os tecidos registraram as maiores variações em agosto. Malha 100% algodão chegou a ter uma diferença de 126% entre um e outro estabelecimento. O quilo do tecido é cotado de R$ 11,90 a R$ 26,90, apontou a pesquisa. 

A malha 100% poliéster também apresentou forte variação de 93,52%. No levantamento, o item foi cotado de R$ 13,90 a R$ 26,90. 

A pesquisa analisou o metro da viscolycra chegando a oscilar em 64,74%. O valor é cotado de R$ 13,90 a R$ 22,90. Já o quilo da malha 100% poliéster ficou com preço R$ 22,90 e não apresentou oscilação. 

 Máquinas  

A pesquisa do Nupev analisou os preços de dez máquinas para a indústria do vestuário.   

— Observou-se que a maior variação de preço foi com a pespontadeira, cujo valor variou 47,05% nos estabelecimentos pesquisados — afirmou o coordenador da pesquisa, Antônio Guimarães Campos. O equipamento pode ser cotado de R$ 3,4 mil a R$ 8 mil. 

A pesquisa analisou o preço da travete e constatou valor de R$ 5.490,00 a R$ 8 mil. Representa 45,71%. 

A reta apresentou a menor oscilação: 1,53%. O equipamento é cotado de R$ 1.950,00 a R$ 1.980,00. 

 Aviamento  

A maior variação de preços entre os aviamentos foi na agulha reta (dez unidades), que teve variação no valor de 71,42% dentre os estabelecimentos pesquisados. 

A agulha botoneira registrou diferença de 27,85% e o item é cotado de R$14 a R$17,90.  

A linha/máquina overlock (300 gramas) e a agulha caseadeira (dez unidades) apresentaram nenhuma oscilação no mês passado. 

 

 

Comentários
×