Iniciativa encaminha pessoas em situação de rua para o mercado de trabalho em Divinópolis

Da Redação 

A Prefeitura de Divinópolis mantém ações de abordagem aos moradores de rua. A Secretaria Municipal de Assistência Social, através do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), é responsável por sensibilizar a população de rua a procurar a Casa de Acolhimento. A ação é realizada pelas assistentes sociais do município e o interessado em sair da rua pode até conseguir emprego com carteira assinada.

A equipe da secretaria recebe ligações, mensagens, falando sobre pessoas que estão pelas ruas da cidade, muitas vezes nas calçadas, praças ou até mesmo debaixo das pontes. Em alguns dias da semana, a equipe do Creas e assistente social, Andrea Cristovam, percorrem as ruas da cidade realizando o trabalho de abordagem.  

Em um primeiro momento é realizada uma conversa e é feito o convite para a Casa de Acolhimento, se a resposta for positiva a pessoa é encaminhada.

— É importante ressaltar que é um trabalho que demanda muita perseverança e insistência, nem sempre a resposta é positiva de primeira. Então é respeitada a vontade do cidadão e em um momento mais oportuno é realizada novamente outra abordagem — explicou o Secretário Municipal de Assistência Social, Juliano Prado.  

De acordo com as regras da secretaria, a pessoa em situação de rua pode ficar até seis meses no acolhimento. Quando chega até a casa é acolhida por um psicólogo e assistente social e a partir desse momento apresenta as suas próprias demandas.

No espaço, ambiente possui organização com convívio social, banho, cama e cinco refeições diárias. São realizados encaminhamentos para rede de saúde, retirada de documentos e acesso a benefícios sociais. Também é facilitada a reinserção no mercado de trabalho.

RBM, 49 anos, frequentou a Casa de Acolhimento no período de outubro de 2018 a fevereiro deste ano e teve sua vida transformada com emprego formal.

— Eu recebi um grande apoio no tempo que estive lá, tive a oportunidade de colocar a minha vida em ordem. Só tenho a agradecer tudo que eles me proporcionaram, hoje voltei a trabalhar normalmente e segui a minha vida — afirmou.

A Casa de Acolhimento tem capacidade para receber até 25 pessoas. O serviço conta com uma equipe que contém coordenadora, psicólogo, assistente social, porteiro, auxiliar de serviço e nove monitores para realizar o serviço que é de 24 horas, todos os dias incluindo fins de semana e feriados.

Comentários
×