Infantil

Preto no Branco 

Pode parecer exagero, mas ouvir alguns discursos de políticos em Divinópolis ou assistir vídeos postados por eles dá até preguiça. Parece criança birrenta quando quer pirraçar os pais. “Eu não vou fazer”, “você não manda em mim”, “eu falo o que achar que devo” e por aí vai. Quando a birra muda para a idade adulta, as falas desconexas entram em ação. Sinceramente, quem entrou nesta última legislatura não está fazendo nada mais que imitar os mais experientes, em uma cópia mal feita que não os levará a lugar nenhum, a não ser ler e ouvir chacotas de quem “entende do riscado”. Os demais que aplaudem tanta baboseira é porque, infelizmente, ainda estão longe de ter noção de qual é o papel do político.

Perdidos 

Verdade que a pandemia bagunçou a cabeça de muita gente. E não é para menos, afinal, mais de um ano de vai e volta e ainda sem ter a certeza de quando tudo isso vai passar. Com os vereadores não é diferente, visto que todos também passam pela mesma indecisão e acompanham no dia a dia o desenrolar dos fatos. Por isso, algumas atuações vistas até agora na Câmara podem e devem ser toleradas. O que precisa ser analisado é depois que este flagelo passar, porque continuar do jeito que parte deles vem atuando é doído. Usar Tribuna para falar de projeto do outro ou algo que nada acrescenta, melhor nem pedir a palavra. Tem gente mais perdido do que cego em tiroteio. 

Fechou 

Há pelo menos dois anos, o Banco do Brasil vem desativando suas agências em todo o país. A alegação do governo federal é a geração de economia. Para 2021, a presidência do Banco informou que, até o fim do primeiro semestre, desativará 361 unidades, sendo 112 agências bancárias, sete escritórios e 242 postos de atendimento. Em Divinópolis, o corte foi feito antes do findar do prazo. A agência situada no bairro Santa Clara, próximo à rodoviária, lacrou suas portas na última sexta-feira. Na porta, apenas o aviso da interrupção do atendimento. Do lado de fora, o lamento de clientes de toda a região do Bom Pastor, considerada uma das mais desenvolvidas da cidade e que, agora, terão que procurar uma das duas que restaram em Divinópolis: no quarteirão da rua São Paulo e outra na Goiás.  Lamentável. 

Aperfeiçoamento 

“Todo conhecimento é pouco.” Frase muito usada e ilustra muito as mudanças loucas pelas quais o mundo tem passado. Em se tratando de saúde e covid-19, então, este encaixe é ainda mais perfeito. E foi isso que fez a diretora/presidente do Complexo de Saúde São João de Deus, Elis Regina Guimarães, mesmo à frente do hospital, em momento dos desdobramentos graves da pandemia. Elis concluiu a especialização em gestão estratégica de saúde, na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O tema de trabalho de conclusão de curso da foi “Relato de Experiência da Implantação do Planejamento Estratégico de 2021 a 2023 no Complexo de Saúde”, produção acadêmica que busca apresentar o protocolo adotado para lidar com uma determinada situação e sua evolução. Não poderia ser melhor a escolha do conteúdo, nem a pessoa que o fez. Afinal, Elis e o São João formam um casamento perfeito. 

Coletiva 

Quem acompanha o São João há anos e sabe da sua importância para Divinópolis e toda a macrorregião Oeste concorda que Elis revolucionou o Complexo de Saúde com a adoção de planejamento estratégico inovador e arrojado, o que culminou na ampliação de diversos setores da unidade de saúde. Desta forma, a conquista pessoal da gestora se torna coletiva, e o hospital e a população da cidade e região, com certeza, têm apenas a ganhar com todo o conhecimento adquirido por Elis. Aplausos. 

Comentários
×