Indústria registra quarto recuo no faturamento

 

Pablo Santos

O faturamento real da Indústria mineira registrou o quarto recuo no ano. Uma recuperação neste momento, de acordo com a Federação das Indústrias de Minas Gerais, é pouco provável nos próximos seis meses.

A Indústria Geral – composta pelas Indústrias de Transformação e Extrativa – caiu 1,9% frente a abril. O resultado foi explicado pela retração de 2,9% na Indústria de Transformação com peso fundamental no indicador geral. Por outro lado, houve avanço na Indústria Extrativa, favorecida pela elevação da cotação média do minério de ferro no mercado internacional.

— No acumulado do ano até maio, os indicadores da Indústria Geral apresentaram desempenho decepcionante: praticamente todos recuaram frente a igual período de 2018, com exceção do emprego, que permaneceu estável. Os fracos resultados da Indústria do estado sugerem que um crescimento mais pujante da atividade nos próximos meses é pouco provável, mesmo com a aprovação de reformas estruturais importantes, como a da Previdência — apontou a nota técnica da Fiemg.

Na Indústria Extrativa, houve queda de 34,3%. No acumulado do ano até maio, o índice geral foi negativo (-1,3%), com forte influência da Indústria Extrativa (-47,3%). A Indústria de Transformação cresceu 3,5% no período.

Horas

As horas trabalhadas na produção da Indústria Geral avançaram 1,3% em maio, frente a abril, em decorrência dos aumentos nas indústrias de Transformação (0,8%) e Extrativa (0,2%). Na comparação com maio de 2018, o índice geral cresceu 2,0%, devido à expansão na Indústria de Transformação (4,8%). Já na Indústria Extrativa, houve retração de 26,4%. No acumulado do ano, o indicador geral recuou 3,0%, com quedas na Indústria de Transformação (-0,8%) e na Extrativa (-25,2%). Na análise dos últimos 12 meses, o índice geral caiu 2,8%.

O emprego da indústria geral cresceu 0,5% em maio, comparativamente a abril, em decorrência das elevações nas indústrias de Transformação (0,6%) e Extrativa (0,2%). Em relação a maio de 2018, o indicador geral aumentou 0,2%, reflexo dos avanços nas indústrias de Transformação (0,1%) e Extrativa (0,5%). No acumulado do ano, o índice da Indústria Geral permaneceu estável e, na análise dos últimos 12 meses, mostrou expansão de 0,1% – mesma variação registrada nos dois segmentos da Indústria. 

Comentários
×