Indústria puxa e emprego sobe pela 2ª vez seguida em Divinópolis

 

Pablo Santos

A indústria da transformação ditou a geração de emprego em Divinópolis em setembro. Pelo segundo mês consecutivo, a geração de postos de trabalho na cidade ficou positiva. Em contrapartida, a construção civil e serviços cortaram oportunidades no mês passado, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)

Em setembro foram abertas em Divinópolis, 160 oportunidades com carteira assinada. O resultado do mês passado é referente a 619 admissões menos as 430 demissões.

Em agosto, a cidade também fechou com saldo positivo e gerou quase o mesmo volume de setembro. Foram 161 vagas criadas com carteira assinada no período.

No acumulado do ano, foram criados 879 empregos referentes a 18.951 contratações e 18.072 desligamentos.

 Setor

O resultado positivo é devido ao bom resultado da indústria da transformação. De acordo com os dados do MTE, foram 189 vagas geradas na cidade pelo setor. Apesar do salto positivo em setembro, a indústria da transformação está com desempenho negativo. Foram 4.449 admissões e 4.662 demissões

Já o comércio abriu sete oportunidades de trabalho no mês passado. O resultado é 564 admissões menos os 557 desligamentos. No ano, o comércio encerrou 88 oportunidades.

Já o setor de serviços fechou oportunidades: 17 em setembro. No entanto, no acumulado do ano foram 604 vagas criadas de janeiro a setembro.

A construção civil também fechou vagas em setembro. De acordo com o MTE, foram encerradas 15 oportunidades formais.  No acumulado do ano foram 150 vagas abertas na cidade na construção civil.

 Brasil

Setembro registrou aumento de 34.392 vagas nos postos de trabalho com carteira assinada no Brasil. Este é o sexto mês seguido em que foram abertas mais vagas de trabalho formal.

No acumulado do ano, o saldo positivo chega a 208.874 empregos, um aumento de 0,5% em relação ao estoque de empregos de 2016.

A Região Nordeste novamente foi a que gerou mais postos de trabalho com 29.644 vagas. Em seguida, vêm as regiões Sul, com 10.534, e Norte, com 5.349. Já nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, houve redução nos postos, com quedas respectivas de 8.987 e 2.148 empregos.

Entre as 27 unidades federativas, 20 tiveram saldo positivo. Pernambuco foi o estado que teve melhor resultado, com 13.992 vagas abertas. Em seguida, aparecem Santa Catarina, com 8.011; Alagoas, com 7.411; Pará, com 3.283, Paraná, com 2.801, Bahia, com 2297 e Ceará, com 2.161.

 Os destaques negativos foram o Rio de Janeiro, com redução de 4.769 vagas; Minas Gerais, com menos 4.291, e Goiás com menos 3.493 postos.

 

Comentários
×