Indústria extrativa mineral derruba faturamento das empresas

 

 Pablo Santos

 A paralisação parcial das atividades extrativas minerais no estado derrubou o faturamento das indústrias mineiras. A crise na mineração prejudica o desempenho das empresas de Minas Gerais. Na região de Divinópolis, 175 estabelecimentos estão cadastrados nestes segmentos.

Conforme a pesquisa da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), os impactos iniciais foram captados pela pesquisa Indicadores Industriais de janeiro, que mostrou queda de 4,7% no faturamento real da Indústria Geral (Indústria de Transformação + Indústria Extrativa), pior desempenho para o mês desde 2011.

— O decréscimo foi justificado pelo significativo recuo de 52,6% na indústria extrativa. Os índices gerais de emprego, massa salarial e rendimento médio real também caíram. Vale ressaltar, entretanto, que houve aumento nas horas trabalhadas na produção da indústria geral, resultado decorrente do avanço na indústria de transformação — afirmou a pesquisa.

Ainda segundo os pesquisadores, as projeções para o ano são de incertezas.

— As perspectivas para 2019 apontam um cenário desafiador para a indústria do estado, diante dos impactos, diretos e indiretos, da interrupção parcial de atividades extrativas minerais, e das incertezas quanto à aprovação e abrangência de reformas estruturais importantes, como a da Previdência. Adicionalmente, a continuidade da crise econômica na Argentina, relevante parceiro comercial, poderá afetar negativamente os principais setores exportadores da indústria mineira — destacou.

Região

Nos 12 municípios pertencentes à região de Divinópolis, são 790 empregos com carteira assinada nas 175 empresas do segmento de extrativo mineral.

No Centro-Oeste de Minas, são 217 empresas com 5.296 empregos gerados em 2018.

 

Comentários
×