Indústria de alimentos abre mil vagas em 6 meses

Pablo Santos

A indústria de alimentos é a uma das maiores geradoras de empregos do Centro-Oeste. Nos 76 municípios da região, foram abertas quase 1.020 oportunidades nos primeiros seis meses do ano, de acordo com os dados do Ministério da Economia. Na contramão, Divinópolis fechou oportunidades de trabalho formal neste ano.

Conforme os dados da pesquisa mensal da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), foram abertas 1.016 vagas formais. No mesmo período do ano passado, foram 391 com carteira assinada na região.

O montante de postos de trabalho abertos no setor foi considerável na indústria em geral do Centro-Oeste. Para se ter uma ideia, no setor industrial, foram criadas 2,7 mil vagas de trabalho em seis meses e as 1.016 foram da indústria alimentícia.

Um dos municípios com maior geração de emprego da região no setor de alimentos foi São Sebastião do Oeste. Das 1.016 oportunidades, 183 foram no município, de acordo com os dados do Ministério da Economia.

Negativo

Em Divinópolis, a situação foi diferente, com saldo negativo. Conforme os dados do órgão federal, foram encerradas no setor alimentício 64 postos formais de emprego nos primeiros seis meses de 2019.

Brasil

Em 2018, foram geradas cerca de 13 mil novas vagas de trabalho, e as estimativas para 2019 são 40 mil novas. 35,7 mil empresas compõem a indústria alimentícia nacional, a qual detém 1,6 milhão de empregos diretos, o que representa 28,6% de todos os empregos da indústria de transformação.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), estima-se que a indústria alimentícia no Brasil cresça de 2,5% a 3%.

As vendas reais devem aumentar de 3% a 4%. Em relação às exportações, o valor deve chegar aos US$40 bilhões, ou seja, movimentar mais de US$ 109,59 milhões por dia.

Comentários
×