Indicadores da indústria mineira apontam resultados fracos

Pablo Santos

A pesquisa Indicadores Industriais de janeiro revelou desempenho fraco no começo do ano no estado. O levantamento, coordenado pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), apontou faturamento real da indústria geral – que inclui a indústria de transformação e a extrativa – com crescimento moderado. Além do emprego tímido e as horas trabalhadas na produção, a massa salarial e o rendimento médio real não apresentaram variações frente ao mês anterior.

O faturamento da indústria mineira cresceu 1,2% em janeiro, na comparação com dezembro, em razão dos aumentos nas indústrias de transformação (2,4%) e extrativa (0,4%). Em relação a janeiro de 2019, o índice geral registrou queda de 0,7%, dado o recuo de 1,3% na indústria de transformação. No acumulado dos últimos 12 meses, o faturamento real apresentou resultado negativo (-4,5%), em decorrência dos decréscimos na indústria de transformação (-0,7%) e na extrativa (-39,8%).

Emprego

Em contrapartida, as vagas preenchidas com carteira assinada aumentaram 0,4% em janeiro, frente a dezembro, em razão dos avanços nas indústrias de transformação (0,4%) e extrativa (0,1%). Em relação a janeiro de 2019, o índice geral subiu 4,4%, em decorrência das expansões nas indústrias de transformação (4,6%) e extrativa (1,7%). Nos últimos 12 meses, o indicador da indústria geral avançou 2,2%, com aumentos na indústria de transformação (2,3%) e na extrativa (1,3%). A massa salarial apresentou estabilidade em janeiro, ante dezembro. Frente a janeiro de 2019, o índice geral avançou 3,2%, mesma variação observada nas indústrias de transformação e extrativa. Na análise dos últimos 12 meses, a massa salarial subiu 1,5%, com aumentos nas duas indústrias: transformação (1,4%) e extrativa (2,0%).

— A pesquisa janeiro mostrou resultados fracos em relação a dezembro de 2019. O faturamento real da indústria geral cresceu moderadamente, devido aos avanços nas indústrias extrativa e de transformação. O emprego também registrou aumento, ainda que tímido. As horas trabalhadas na produção, a massa salarial e o rendimento médio real não apresentaram variações frente ao mês anterior — analisou a nota técnica da Fiemg.

 

Comentários
×