Inauguradas melhorias de rodovias entre Luz e Lagoa da Prata

Da Agência Minas

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, entregou, nesta quinta-feira, 22, as obras de melhoramento e pavimentação nas rodovias MG-176 e MG-429, entre os municípios de Luz e Lagoa da Prata, Território Oeste. Ao todo, foram investidos R$ 75,6 milhões, incluindo materiais, supervisão e desapropriações, por meio do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG).

As ações, realizadas em 45,5 quilômetros das rodovias, foram concluídas em outubro de 2017. Também foi construída uma ponte sobre o Rio São Francisco, com 220 metros, além de estruturas de muros de arrimo para o acesso à ponte, na MG-429.

Ainda foram realizados a restauração e o alargamento da ponte sobre o Ribeirão Jorge Pequeno, na saída de Luz. O trecho entre as cidades de Luz e Lagoa da Prata interliga as rodovias estaduais MG-429 e MG-176.

A via é de fundamental importância para o escoamento de produtos e mercadorias da agroindústria do Território Oeste mineiro. Moradores, comerciantes, agricultores, pecuaristas, donos de indústrias e usineiros aguardavam com expectativa a conclusão da obra, que irá melhorar a logística e a integração de toda a região.

Durante a inauguração, que aconteceu no distrito de Esteios, no município de Luz, o governador Fernando Pimentel lembrou que a obra entregue é uma demanda de mais de 40 anos da região.

— Minas Gerais é um estado com municípios pequenos, o governador tem que se desdobrar para tentar estar em todos eles. Vim entregar uma obra que é um sonho da região há 40 anos, pelo menos, que é a estrada que liga Luz a Lagoa da Prata, a estrada, as pontes, enfim. É uma importante via de acesso. Até certo tempo atrás você tinha que tirar o caminhão atolado na lama com auxílio de bois”, afirmou.

Segundo o governador, nestes 40 anos o estado passou por fases de prosperidade econômica, mas sem que a obra tivesse sido uma prioridade até então.

— Foram 40 anos esperando e muita coisa aconteceu. Já teve inflação alta, depois teve Plano Real e acabou a inflação. Tiveram presidentes que foram retirados dos mandatos antes do mandato terminar. Tivemos anos maravilhosos de muita receita, que permitiram ao Governo do Estado, por exemplo, construir palácio suntuoso chamado Cidade Administrativa, que custou R$ 2 bilhões. Mas, quantas pontes poderiam ter sido feitas com aquele dinheiro? Quantos quilômetros de estrada asfaltada? Mas fizeram outras escolhas. Agora não. Agora Minas Gerais tem um Governo que faz a escolha que o povo quer, que é resolver o problema das pessoas. Infelizmente essa escolha está sendo feita em um contexto de pouco dinheiro, em um contexto de dificuldade. Mas, apesar da crise, Minas Gerais está muito melhor que a maioria dos estados — completou Fernando Pimentel.

Comentários
×