Imunidade e impunidade

Se existe um sentimento que move o Brasil é o da impunidade. A criminalidade aumenta a cada ano no país, justamente porque os criminosos têm certeza de que sairão impunes de seus crimes. O efeito disso são milhões de brasileiros reféns do medo e criadores de mecanismos que os façam sobreviver, mas não do crime, e sim da impunidade. No Brasil, o crime compensa. Aqui, compensa roubar, matar, furtar e enganar. Tudo isso é feito, e o criminoso tem “zero” de consequência. Infelizmente é isso que tem movido o país. Engana-se quem acha que a certeza de impunidade fica apenas no âmbito policial, quem acredita que apenas quem rouba bens materiais, mata, furta, comete estelionato e outros tipos de crime é o responsável pelo brasileiro criar estes mecanismos de sobrevivência.

 A pior e a maior causadora de nos tornarmos reféns do medo é a certeza da impunidade política. Essa certeza, sem sombra de dúvidas, é a pior que existe. Ela mata mais que arma de fogo, do que latrocínio e crimes passionais. Essa certeza mata milhares de brasileiros na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) todos os dias, milhares de crianças e adolescentes todos os dias nas periferias espalhadas no país. Mata sonhos, esperanças e nos mata um pouco todos os dias. Neste momento, enquanto você lê este texto, um brasileiro morre por arma de fogo ou à espera de um procedimento no SUS. E, enquanto estes brasileiros estão morrendo, neste momento, tem um político roubando, pois tem a certeza que ficará impune por seus crimes. Matamo-nos! Ou melhor, os ajudamos a nos matar. Pois, sabemos quem são, como são e como agem, mas insistimos em acreditar que um herói vai nos salvar, e que o responsável pela violência do país é o preto, o pobre que está na periferia. Preferimos nos enganar e insistir nos contos de fadas, e nos acostumamos, ajeitamos do jeito que dá.

Eles, os nossos políticos, dão as armas, com suas roubalheiras, e nós apertamos o gatilho com a nossa inércia e com a criação do “herói”. Como se não bastasse, eles, os nossos políticos, são imunes. Sim! Imunes! De acordo com o artigo 53 da Constituição Federal, os parlamentares “são invioláveis”. E, apesar de o artigo 5º da Carta Magna determinar que “todos são iguais perante a lei”, eles são, além de invioláveis, inimputáveis. Não pagam por seus crimes. Eles matam mais que arma de fogo e não são responsabilizados por seus crimes, e é assim que construímos um país do futuro. Além de invioláveis e inimputáveis, eles são covardes. Escondem-se atrás de sua imunidade parlamentar para cometer seus crimes, que classificaríamos como, no mínimo, de hediondos. Crimes estes que deveriam ter maior rigidez por parte do Estado, por ocuparem um cargo de representantes do povo, mas que terminam em pizza ou em reeleição.

Crimes que são esquecidos a cada quatro anos e nos fazem ter a certeza de que estamos longe de ser o país do futuro, pois a impunidade e imunidade não deixam.

Comentários
×