Impeachment e IPTU ganham data para votação

Da Redação

Divinópolis deve sediar sua última reunião extraordinária deste ano com dois temas polêmicos: o impeachment do atual prefeito, Galileu Machado (MDB), e a nova proposta do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). A votação acontece na quinta-feira, 27, às 9h, na Câmara Municipal.

A expectativa era que o projeto do IPTU fosse votado na última sexta-feira, 14. Porém, após reunião privada com os vereadores, Adair Otaviano (MDB), anunciou a retirada da pauta. Segundo ele, o motivo foi a não emissão do parecer das comissões permanentes de Justiça e Administração.

Impeachment

O projeto de impeachment foi protocolado pelo vereador do Patriota, Sargento Elton. Quatro outros vereadores também assinaram o pedido: Cleitinho Azevedo (PPS), Edson Sousa (MDB), Janete Aparecida (PSD) e Roger Viegas (Pros).

A cassação do mandato tem como base as negociações de cargos na Prefeitura pelo prefeito Galileu Machado (MDB), investigadas na CPI dos áudios. A Prefeitura repudiou o pedido, afirmando “não encontrar explicação plausível para tamanho ódio disparado contra a vontade de cerca de 60 mil divinopolitanos que elegeram, democraticamente, os destinos de nossa cidade, entregue à atual gestão”.

IPTU

O novo projeto do IPTU tem gerado polêmica e visa atualizar a planta de valores, para ter validade já a partir de 2019. O formato enviado pela Prefeitura para votação prevê a variação da alíquota de 0,30% a 0,55%, de acordo com o valor e o tipo de imóvel. Já os parlamentares queriam a variação prevista no Projeto de Lei do ano passado, entre 0,30% e 0,40%.

Segundo o Município, com a aprovação do projeto o IPTU de 80% dos moradores custaria abaixo de R$ 500. Outras 38 mil contribuintes teriam o valor do imposto reduzido. Dos 156 pagantes, 54 mil não sofreriam com a atualização. A justificativa para a mudança é atualizar os valores de localidade em que o IPTU está com sua taxa defasada.

 

Comentários
×