Imagem e semelhança

A cada reunião ordinária da Câmara Municipal, é possível ver que Divinópolis está como está porque não sabe escolher os seus representantes. A cada reunião, a população perde um pouco mais a esperança de que um dia, talvez, a cidade volte a crescer. Afinal, o que se tem hoje no Poder Legislativo é a imagem e semelhança do divinopolitano.

Que o povo brasileiro não se interessa por política, todos sabem, embora nos últimos tempos isso venha mudando. Que uma parte do eleitorado é comprado por uma cesta básica, um padrão de luz ou uma ponte, também é público e notório. Que o povo gosta mesmo é de discurso fácil e bonito, estão todos ficando carecas de saber. A ironia é esse mesmo povo cobrar perfeição de seus representantes.

O reflexo de uma população que não estuda e não lê ocupa algumas cadeiras na Câmara. Assim como o povo divinopolitano, alguns dos parlamentares também não se interessam pelos estudos e, com isso, a única coisa que fazem é tumultuar as sessões e atrasar os trabalhos da cidade.

Preocupados apenas com o próprio umbigo e com o teatro nosso de cada terça e quinta-feira, alguns vereadores mostram total despreparo para assumir o posto que o povo lhes confiou. Uma das situações mais recorrentes nas reuniões ordinárias são os parlamentares mais perdidos que cegos em tiroteio durante as votações dor projetos de lei, principalmente quando se trata de propostas do Poder Executivo. Em alguns casos, o presidente da Câmara, Adair Otaviano (MDB), chega a suspender a reunião para que os nobres vereadores possam entender de que se trata o projeto em discussão. Quando isso não acontece, sobra até mesmo para a procuradora da Casa, Rozilene Bárbara Tavares. A verdade é que quem acompanha o Poder Legislativo se espanta com o show de horrores que os vereadores dão, seja nas sessões, seja nos bastidores.

Como os parlamentares votam com tranquilidade projetos de lei importantes, se não estudam as propostas? Se não entendem de prazos? Se não sabem como determinada votação irá atingir diretamente a vida de algumas famílias? Como podem representar uma cidade se estão mais preocupados em gravar vídeos, fazer discursos impactantes, gritar, berrar e atacar – muitas das vezes, com ofensas pessoais – o vice-prefeito, o prefeito, o secretário de Saúde, o secretário de Governo ou até mesmo o próprio colega?

O que mais dói em tudo isso é justamente ver que muitos são apenas o reflexo da população de Divinópolis. Um povo despreparado para eleger políticos que vão trabalhar de verdade pelo Município. Hoje o palco está repleto de atores, que nada mais fazem do que atrasar o desenvolvimento da cidade.

Uma simples votação de projeto vira uma enorme novela, porque vereador X não conseguiu o almejado cargo comissionado na Prefeitura ou porque o vereador Y é oposição – e a única função dele na Câmara é atrasar a vida do prefeito.

Por mais que tentem disfarçar, por mais que façam discursos repletos de palavras bonitas, boa parte dos vereadores não sabe o que está fazendo no Poder Legislativo. Ainda não descobriram qual a verdadeira função de um parlamentar, além de gritar, berrar, gravar vídeo, brigar com a imprensa e com o Poder Executivo. Infelizmente, um povo que não estuda acaba elegendo seus próprios opositores.

Comentários
×