IHA e Unifenas se unem em projeto de higienização bucal

No primeiro passo da proposta, em dezembro do ano passado, os universitários elaboraram uma cartilha, distribuída virtualmente aos assistidos, com orientações para uma boa higienização bucal.

Da Redação

Estudantes de odontologia da Unifenas estiveram, na sexta-feira, 25, no Instituto Helena Antipoff (IHA) para a segunda etapa do projeto “Somar - Sorrir e Amar”. Desta vez, os universitários, respeitando as normas de prevenção à covid-19, apresentaram, de forma didática e lúdica, aos assistidos os cuidados necessários para uma boa higienização bucal.

A parceria surgiu, como aponta a pesquisa para o desenvolvimento do projeto, por ser percebida que pessoas com deficiência intelectual, múltipla e com transtorno do espectro autista são vulneráveis ao acometimento de doenças bucais. Os casos podem estar relacionados ao atraso motor ou déficit cognitivo, ocasionando em dificuldade de realizar e escovação. Assim, o intuito é superar algumas das barreiras e evitar doenças e problemas causados pela má higienização.

— Pacientes com necessidades especiais apresentam maior prevalência de cárie, mais dentes não tratados e mais número de dentes perdidos — informa a Unifenas.

Durante as atividades educacionais, os assistidos aprenderam, por exemplo, sobre os movimentos adequados para uma boa escovação e como usar corretamente o fio dental.

No primeiro passo da proposta, em dezembro do ano passado, os universitários elaboraram uma cartilha, distribuída virtualmente aos assistidos, com orientações para uma boa higienização bucal.

— É mais uma parceria que visa ampliar o conhecimento de nossos assistidos. Esse auxílio ajuda os assistidos a serem mais independentes na tarefa diária da escovação e, com uma escovação melhor, previne problemas bucais causados pela má higiene — destacou o presidente do IHA, Juliano Vilela.

O Instituto Helena Antipoff e a Unifenas reforçam que o projeto é educacional e não substitui a ida regular ao dentista.

Comentários
×