Diocese de Divinópolis proíbe venda de bebida alcoólica

Gisele Souto
Ricardo Welbert

Quem foi as missas nas igrejas que pertencem à Diocese de Divinópolis, ontem, foi  comunicado de uma nova decisão tomada pelo bispo Dom José Carlos. O que antes era uma recomendação agora virou decreto, que entra em vigor no dia 1° de janeiro. O documento determina a proibição da venda de bebida alcoólica nas festas religiosas das igrejas pertencentes à Diocese. Nem o tradicional quentão tão tradicional nas festas juninas ficou de fora. Além das barraquinhas, fica vedada a comercialização também nos arredores das igrejas.

O comunicado foi enviado a todas as paróquias, conselhos pastorais, comissões de festas e movimentos eclesiais.

Segundo o documento, a medida atende aos inúmeros clamores da população, atormentada pelo vício do álcool nas relações familiares. Diz ainda que a decisão foi consolidada em assembleia diocesana realizada nos dias 5 e 6 últimos de forma unânime, depois de pesquisa junto aos presentes. Encerra afirmando que espera, com o decreto, colaborar com as boas práticas em prol da saúde e vida das pessoas.

A proibição

A determinação abrange tanto as barraquinhas que ocorrem na área urbana quanto as das áreas rurais.

O decreto considera ainda incidentes, processos judiciais e custos com demandas oriundas de acidentes decorrentes do uso abusivo de bebida alcóolica em festas e ventos religiosos que causaram danos materiais e pessoais.

A proibição passará a vigorar em igrejas, galpões, centro pastorais ou qualquer outro espaço da Igreja Católica. O texto ainda isenta a diocese de responsabilidade caso haja atravessadores que favoreçam o comércio de bebidas alcoólicas nos locais indicados.

 

Comentários
×