Idosos são alvo de golpistas presos pela PF

Rafael Camargos   

Idosos. Eles eram o alvo dos criminosos investigados desde 2015 e presos ontem, 14. Cinco pessoas foram detidas pela Polícia Federal de Divinópolis e Belo Horizonte durante a operação "Inciso 20". Eles são suspeitos de integrar quadrilhas que aplicavam golpes contra servidores públicos em Minas e todo o país. A Polícia Federal (PF) cumpriu 17 mandados de prisão, sendo nove deles de condução coercitiva e os oito de prisão. 

Segundo a PF, um dos envolvidos no esquema foi preso em Divinópolis. Os outros 16 investigados foram capturados na capital e todos foram ouvidos na Polícia Federal de BH. 

Há dois anos 

Há cerca de dois anos, o grupo especializado em golpes vinha sendo monitorado pela Polícia Federal. De acordo com o delegado regional da PF Daniel Sousa, os envolvidos são suspeitos de criar falsas associações e promover descontos em folhas de servidores públicos, sem autorização. O delegado continua falando que os golpes começaram com servidores federais, mas depois a atuação dos criminosos foi ampliada e os trabalhadores estaduais e municipais em todo o país. Os estelionatários conseguiam acesso de funcionários de bancos a listas de cadastros de servidores. Com base nisso, encaminhavam os dados para o banco e conseguiam contribuição associativa, sem que os servidores autorizassem.  

Alvo  
Ainda segundo o delegado, o principal alvo da quadrilha eram os aposentados, porque dificilmente a classe olha o contracheque. Na investigação foram identificadas cinco associações, mas é um emaranhado de pessoas por todo o Brasil praticando o mesmo crime e usando os mesmos dados.  

— São milhares de pessoas atingidas. Não há estimativa de prejuízo total, mas acompanhando as contas, (os valores retirados) chegam a R$ 40 mil por mês — afirmou o delegado. 

 

 

Comentários
×