Idosos esperaram em pé durante horas

Da Redação

Assim como tudo que tem prazo para terminar, os últimos dias são os mais “tumultuados”. Do lado de fora da garagem da Trancid uma longa fila tem se estendido durante esta semana. Os idosos e as idosas da cidade, alguns com guarda-chuva em mãos para se proteger do sol, ou da chuva, buscavam se cadastrar para obter o “Cartão Gratuidade” e tiveram que entrar na fila. Apesar da promessa de sair com o cartão no mesmo dia, teve gente que chegou em casa de mãos vazias.

Reclamações

Apesar de ter como objetivo facilitar e tornar mais confortável a vida dos idosos, o processo, até o momento, tem gerado insatisfação em quem deseja receber o cartão. Sob condições desconfortáveis, as pessoas aguardam na fila sem terem onde se sentar ou encostar.  

Os idosos, a fim de conseguirem mais conforto dentro do ônibus foram em busca da carteirinha. A mãe do advogado Eduardo Augusto Diolanda Silva Teixeira, de 65 anos, esperou horas na fila e mesmo assim saiu sem o cartão.

— (...) ela chegou lá na parte da manhã. E foi ficando toda vida, inclusive ficou sem almoço. Ela falou que não tinha lugar para sentar, que não tinha água, nem água para beber tinha e tinha muitos idosos no dia. E que, neste dia, não resolveram, porque só tinha uma pessoa para tirar foto e ela ia ter que retornar no dia seguinte para poder resolver — explicou Bruna Anjos Teixeira, sobre a situação da sogra.

Diolanda, assim como quem estava na fila, sofreu com a falta de estrutura do local, tendo que esperar pelo atendimento em pé.

— Ela chegou muito cansada, porque não tinha lugar para sentar e neste dia tinha muitos idosos e poucos atendentes nesse dia — contou Bruna.

Trancid

A Trancid, local onde é expedido o cartão, mas ele é válido para todas as empresas do Consórcio TransOeste,   explicou a reportagem que ontem foi o dia com a maior presença de idosos, devido à reta final dos cadastros. A empresa reportou que a procura tem se intensificado nesses últimos dias e, até o dia de ontem, mais de 13 mil idosos já estavam em posse do “Cartão Gratuidade”.

Sobre os transtornos relatados por quem enfrentou a fila, a Trancid informou que, devido à quantidade de pessoas que deixaram para a última hora, a situação se complicou.

— A empresa atendeu quase 15 mil pessoas em pouco mais de um mês. Foram disponibilizados dez funcionários exclusivos para o atendimento. A empresa ofereceu banheiros, água, café e toda a estrutura pra melhor atender aos idosos e obtivemos muitos retornos satisfatórios da maioria das pessoas. Quem deixou para os últimos dias realmente teve que esperar um pouco mais — afirmou a empresa ao Agora.

Resultados

Apesar de ainda ser uma ferramenta recente, a experiência tem se mostrado positiva, de acordo com a empresa.

— Os idosos estão muito satisfeitos com a melhora do conforto que terão a  partir de agora. Todos ganham porque a parte da frente dos veículos ficará com melhor fluidez para os passageiros pagantes e facilitará o controle para os motoristas— destacou o Consócio.

Cadastros

Os idosos acima de 65 anos interessados em possuir o Cartão devem se apresentar na rua Nossa Senhora das Graças, 281, no bairro Manoel Valinhas. É preciso ter em mãos os seguintes documentos (original e cópia): carteira de identidade, carteira de trabalho ou de habilitação; e comprovante de endereço de, no máximo, quatro meses atrás. O cadastramento é feito das 8h às 12h e das 13h às 17h.

O prazo para emissão da carteirinha termina hoje.

Cartão

Com o “Cartão Gratuidade”, os idosos podem passar pela roleta sem nenhum custo adicional e ir para a parte traseira do transporte coletivo em busca de maior conforto e espaço. A medida visa gerar uma melhor distribuição de passageiros dentro do ônibus. O principal motivo para a criação deste cartão é que, em determinados horários, a parte da frente do ônibus encontrava-se lotada e desconfortável para os passageiros.

Fake news

Como parece estar se tornando tradição, para cada informação verdadeira surgem diversas falsas. No início de dezembro do ano passado, circulava um boato que, caso o idoso acima de 65 anos não se cadastrasse, teria o número de traslados limitado. Tal rumor é falso. O “Cartão Gratuidade” não é obrigatório.

— A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans) esclarece que o
“Cartão Gratuidade”, um sistema de reconhecimento facial na bilhetagem eletrônica do transporte coletivo de Divinópolis para idosos acima de 65 anos, não possui o objetivo de limitar o número de vezes que os idosos podem utilizam os ônibus por dia, como afirmam boatos circulando pelo município — informou a Prefeitura em dezembro.

 

Comentários
×