Idoso é picado por escorpião

Da Redação

Um senhor de 58 anos teve que ser socorrido após ter a coxa direita picada por um escorpião na região central da cidade, ontem. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado por volta das 13h12 para realizar o atendimento.

Segundo informações do Samu, o homem estava estável e foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA).

Alerta

O caso serve de alerta para o perigo, não apenas com escorpiões, mas com os animais peçonhentos em geral. É um erro pensar que esses animais se escondem apenas em regiões rurais. Como o caso de ontem mostra, escorpiões, cobras e outros podem estar presentes em áreas urbanas.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG), o número de acidentes com animais peçonhentos tende a aumentar em períodos de chuvas e calor, como Divinópolis tem vivido. É nesta época que escorpiões, aranhas e cobras buscam lugares secos para se abrigarem. Ou seja, jardins, parques e proximidades de casa acabam sendo locais ideais para esses bichos.

A coordenadora de Zoonoses e Vigilância de Fatores de Risco Biológicos da SES-MG, Mariana Gontijo, é preciso cuidado redobrado durante essa época.

— Nos meses do verão, de dezembro a março, há um aumento no número de acidentes por animais peçonhentos em relação aos demais meses do ano. Mais de 40% dos acidentes são registrados nessa época. Isto porque há um aumento no crescimento da população destes animais no período — explicou Mariana Gontijo.

Cuidados

A maneira mais fácil de entrar em contato com animais peçonhentos é durante a limpeza de galhos, troncos, folhas e similares, locais de fácil esconderijo para eles. É preciso tomar cuidado ao mexer nesses ambientes e ficar atento para crianças não brincarem perto desse tipo de sujeira. E, sempre, ao limpar esses locais, usar equipamentos de proteção como luvas de couro e botas de cano alto.

Outra dica simples é manter um olhar atento no trajeto que está fazendo e em possíveis esconderijos para esses animais. Caso suspeite, use sempre pedaços de madeira, enxada ou similares para mexes nos locais. Os divinopolitanos devem sempre manter o jardim ou quintal limpo, evitando o acúmulo de folhas, lixo, madeiras, entulhos e similares. É importante também manter frestas e ralos fechados. São ações simples que podem salvar vidas.

Um alerta feito pela Secretária de Saúde de Minas é, ao ser picado, evitar soluções caseiras. Essas ações podem apenas piorar a situação.

— Os acidentes podem levar à morte, caso a pessoa não seja socorrida e tratada adequadamente. Em caso de acidente, é preciso procurar atendimento médico e evitar soluções caseiras como amarrar o local ou fazer torniquete no membro acometido, aplicar qualquer tipo de substância no local da picada ou “chupar o veneno”, essas ações apenas aumentam as chances de infecção local — destaca o órgão.

Divinópolis

No ano passado, a cidade também sofreu com os animais peçonhentos. Em dezembro, uma criança de dez anos deve que ser atendida pelo Corpo de Bombeiros após ser picado por um escorpião. Ela foi encaminhada para UPA e teve alta. Diversos moradores também relataram terem visto escorpiões, seja na própria residência ou em outras localidades.

Quem visualizar bichos como esses deve entrar em contato com a Vigilância da Saúde de Divinópolis através do (37) 3229-6800 para orientações.

Minas

Até o início de dezembro, Minas Gerais já tinha contabilizado mais de 45 mil acidentes com esse tipo de animais; 66 pessoas morreram. O número aumentou em relação a 2017, quando foram notificados 40 mil casos e 58 óbitos. A maioria dos casos é causada por escorpião.

Comentários
×