ICMS avança 15% e caminha para encerrar 2017 com saldo positivo

Três cidades detêm 52% do imposto na região, aponta Fiemg

 

 

Pablo Santos 

A arrecadação com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cresceu na região nos cinco primeiros meses do ano quando comparado com o mesmo período de 2016. As 72 cidades do Centro-Oeste representam 4,6% do recolhimento de ICMS de Minas Gerais. Três municípios da região detêm 52% do imposto.

De acordo com os números da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), com base nos dados da Secretaria de Estado da Fazenda, foram recolhidos na região R$ 474,9 milhões nos cinco primeiros meses com o ICMS. No mesmo período do ano passado, o governo de Minas Gerais arrecadou R$ 413,1 milhões, ou seja, 14,97% de crescimento no confronto dos dois períodos. No ano passado, o Governo de Minas recolheu no Centro-Oeste R$ 921 milhões com o imposto. Segundo o relatório da Fiemg, os 76 municípios da região renderam para o caixa do Governo de Minas Gerais R$ 921,54 milhões em ICMS no ano passado. Já em 2015 foram recolhidos R$ 948 mil nos municípios do Centro-Oeste, o que significa queda foi de 2,85% de um ano para o outro.

Cidades

No mapa da Fiemg, 76 cidades compõem o Centro-Oeste e três municípios são responsáveis por 53% dos R$ 474,9 milhões recolhidos com o ICMS.

A cidade de Juatuba está no mapa do Centro-Oeste e foram recolhidos 34,3% no município em 2016.  Bem distante de Juatuba, aparece Divinópolis com 9,6% dos R$ 479,9 milhões arrecadados pelo estado nos 12 meses de 2016. Arcos com 8,7% foi o terceiro município com maior volume gerado de ICMS para o governo mineiro.

Dos valores arrecadados no ano passado, 92,5% são provenientes da Indústria da transformação. Depois aparece a indústria extrativa com 6,7%, acompanhado dos Serviços Industriais de Utilidade Pública (Siup) com 0,7% e a construção 0,1%, de acordo com o realtório.

Minas 

O recolhimento de ICMS totalizou R$ 41,055 bilhões ano passado, com crescimento nominal de 10,5%, menos a inflação, chegando a uma alta real de 4,3% sobre o total do exercício anterior (R$ 37,156 bilhões). O ICMS respondeu por 80,5% do total da arrecadação do Estado no ano passado, segundo os dados da Secretaria do Estado da Fazenda.

A indústria foi o maior recolhedor do ICMS no Estado em 2016, com arrecadação de R$ 20,251 bilhões. O comércio recolheu R$ 10,365 bilhões em ICMS no ano passado, 25,2% do montante arrecadado com o imposto.

 

 

Comentários
×