Investigação não atinge todos os servidores e Serviço do Luto continua operando, diz Prefeitura de Divinópolis

Gisele Souto
Ricardo Welbert

A Prefeitura de Divinópolis, que administra o Serviço Municipal do Luto, alvo da operação "Thanatos", deflagrada nesta sexta-feira (2) pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), divulgou nota sobre o caso. A administração municipal afirma que acompanha a ação, que, segundo o governo, "investiga irregularidades cometidas por servidores municipais".

— É importante destacar que o início das investigações se deu a partir de uma denúncia oficializada pelo próprio Município em 2016.
Desde esse período, a Prefeitura sempre se colocou ao inteiro dispor das autoridades para auxiliar nas investigações e esclarecer os fatos.
O Serviço Municipal do Luto é uma atividade considerada essencial e continua funcionando dentro da normalidade e não abrange o quadro completo de funcionários do setor — diz. 

Entenda o caso

A "Thanatos" visa a combater um dos maiores esquemas de corrupção já vistos no poder público municipal da cidade, conforme divulgado pela polícia.

Os atos criminosos envolveriam agentes funerários da Prefeitura de Divinópolis, que teriam se associado para cometer crimes com um grupo de pessoas para venda de produtos ligados à prestação dos serviços funerários.

Os agentes recebiam propina na transferência e venda de produtos por particulares do mesmo ramo de atuação, ao invés de venderem produtos do próprio Serviço do Luto Municipal.

Danos

Os danos, de acordo com a Polícia Civil, são "absurdos" e estimados até o momento em R$ 300 mil.

Estão sendo cumpridas 26 medidas cautelares, sendo 21 mandados de busca e cinco de prisão. Outros podem ser expedidos conforme o andamento da operação.

Os alvos da "Thanatos" são agentes funerários municipais, estabelecimentos comerciais (floriculturas) e empresários da cidade.

Presos

A investigação começou no governo Vladimir Azevedo (PSDB), resultando num vasto material, incluindo grampos telefônicos. Os servidores presos são todos concursados.

Continuidade

Mais informações a qualquer momento. Para as 15h30, está prevista uma entrevista coletiva no auditório da delegacia regional de Divinópolis, com a presença do regional Leonardo Pio, da delegada Adriene Lopes e do promotor Gilberto Osório Resende.

Comentários
×