Hortigranjeiros têm queda

Batata e cebola estão com os preços em queda

Jorge Guimarães

Setembro registrou queda de preços nos hortifrútis nas gôndolas dos supermercados. Nesta primeira quinzena de outubro, os custos continuam em retração, principalmente os da batata e cebola, que chegaram à casa dos R$ 5,50 em agosto. O tomate também está com valor em queda, oscilando entre R$ 3 e R$ 4.

Em um supermercado, ontem, a abóbora híbrida e o repolho verde estavam sendo comercializados a R$ 0,99; já a batata doce roxa e beterraba a R$ 1,79; a cebola branca e cenoura vermelha, por sua vez, saíam a R$ 1,99. A batata era vendida a R$ 2,99 e o tomate a R$ 3,99. O mamão havaí estava R$ 2,99, mesmo preço do melão amarelo e da banana prata.

— Os preços devem continuar neste patamar pelos próximos meses, o que possibilita as nossas promoções semanais de hortifrúti. E já estamos nos preparando para oferecer ótimas promoções para o fim de ano, principalmente no período das festas, como Natal e Réveillon — avaliou o gerente Wesley Brandão.                                                                                                                                                                                                                                       

Hortaliças

O grupo das hortaliças, legumes e verduras foi o principal responsável pela queda de 4% no preço médio dos hortigranjeiros, em setembro na comparação com agosto, no atacado do entreposto de Contagem da Ceasa/Minas. As hortaliças apresentaram redução no custo médio de 12,1%, ao contrário das frutas, que ficaram 5,3% mais caras e dos ovos, com pequena alta de 0,3%. O aumento da oferta, em razão da melhoria das condições climáticas, está entre as principais causas para o barateamento de vários produtos.

Destaque para as quedas de preços da batata, -23%, e cebola, -22%, mas teve hortaliças que ficaram mais caras com destaque para o chuchu, 73,8%.

Frutas

A alta no preço das frutas foi influenciada por fatores como a entrada na entressafra de alguns alimentos, por exemplo, o limão-taiti, que teve alta de 82,5%. Mas, o consumidor pode encontrar também frutas com queda de preço, com destaque para mamão havaí, -40,9%.

 

Comentários
×