Hortigranjeiros ficam 7,5% mais baratos em maio

Jorge Guimarães

O grupo dos hortigranjeiros, que inclui hortaliças, frutas e ovos, ficou, em média, 7,5% mais barato em maio em relação a abril, no atacado do entreposto de Contagem da CeasaMinas, que é o maior fornecedor do gênero para Divinópolis. De modo geral, a queda no preço médio foi influenciada pela redução das chuvas, combinada com temperaturas mais amenas. Esses fatores propiciaram o aumento da quantidade ofertada e a melhoria da qualidade dos produtos.

Segundo o chefe da Seção de Informações de Mercado da CeasaMinas (Secim), Ricardo Fernandes Martins, a expectativa é que, caso não haja um inverno muito rigoroso nas regiões produtoras, os preços da maioria das mercadorias mantenham trajetória de queda.

Hortaliças

No setor de hortaliças, legumes e verduras, a redução do preço médio foi de 4,4%. Os produtos que mais contribuíram para a queda foram o tomate longa-vida, -33,6%; o repolho, -23%; a moranga-híbrida, -19,2%; a abobrinha-italiana, -13,3%; a mandioca, -12,3%; a beterraba, -9,2%; e a batata, -2,5%.

Apesar da queda média no preço, ainda não é possível afirmar que o conjunto das hortaliças esteja com preços muito baixos. Além disso, alguns produtos apresentaram altas de preços, com destaque para o chuchu, 54,1%; o pepino, 31,2%; a cenoura, 28,9%; a berinjela, 4,5% e o inhame, 2,7%.

Tomate

Vale esclarecer, ainda, a situação do tomate, cujo quilo chegou a ser comercializado no atacado em abril a R$ 3,07/kg e caiu para R$ 2,04/kg em maio. Esse produto vem sinalizando altas nos primeiros dias deste mês de junho, o que exige dos consumidores atenção na hora de pesquisar os preços.

Frutas

Já as frutas apresentaram redução de 11,9% no preço médio, influenciadas principalmente por alimentos em safra. Foram destaque o mamão-formosa (-47,6%), a banana-nanica (-26,6%), a manga, (-23,7%), a laranja-pêra (-22,2%), a tangerina ponkan (-21,9%), o mamão-havaí (-19,4%), o limão-taiti (-14,4%) e o abacate (-8,7%).

Mas houve também frutas que ficaram mais caras no mês passado, a exemplo de melão, 35,9%; melancia, 15,8%; morango, 14,5%; goiaba 5,1% e banana-prata 4,1%.

Preços

A melancia ontem em um supermercado da cidade, era comerciada a R$1,19, a mexerica ponkan e o limão estavam a R$ 1,99, e a manga a R$ 2,99. A laranja pera rio e a abóbora estavam a R$ 1,39. Já a batata era comercializada a R$ 4,49, a cebola saía por R$ 3,99, e o tomate a R$ 5,99. Já a cenoura vermelha estava a R$ 3,29 e o chuchu a R$ 3,59.

— No mercado sempre existe a lei da oferta e da procura, que rege o sobe e desce dos preços. Assim, o consumidor tem sempre que estar atento às promoções. O nosso melhor é que com um grande mix de produtos e fornecedores, podemos melhor atender o consumidor que pode escolher à vontade — avaliou o gerente Walter Wagner.      

Ovos

Os ovos ficaram 12,7% mais baratos no comparativo, em razão principalmente do aumento da oferta. Outro fator que contribuiu para isso foi o recuo da demanda, após o fim da Quaresma, período tradicionalmente de maior consumo do ano.

Comentários
×