Horário de verão começa no próximo fim de semana

 

Jorge Guimarães  

O tradicional horário de verão começa à zero hora deste domingo. Com sua chegada, a população de dez estados e do Distrito Federal deverá adiantar os relógios em uma hora. A alteração de horário vigorará até 17 de fevereiro de 2018, completando assim 126 dias de duração. 

Além de Minas Gerais, o ajuste do horário vale para os moradores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. O objetivo é aproveitar o maior período de luz solar possível para economizar energia.   

Minas Gerais  

Segundo o engenheiro de Planejamento Energético da Cemig, Wilson Fernandes Lage, o objetivo da mudança é aumentar a segurança da operação do sistema elétrico brasileiro.  

— Neste período, há uma redução da demanda máxima por energia durante o horário de pico de consumo, que ocorre entre 18 e 23 horas — afirma. 

 Com a adoção da mudança de horário, a Cemig espera uma redução na demanda máxima de 4,0%, equivalente a 350 megawatts (MW) de potência. Para se ter uma ideia, essa economia poderia abastecer a demanda de pico de município de 800 mil habitantes, equivalente à soma das populações de Juiz de Fora e Sete Lagoas. 

Para os consumidores comerciais e residenciais, o consumo de energia pode reduzir até 5%, devido ao menor tempo de utilização da iluminação artificial. 

Divinópolis 

Em Divinópolis, a redução na demanda de energia vai agregar números positivos no total do estado. 

— A redução de energia na cidade vai bater nos 1100 MWh, números suficientes para abastecer uma cidade do porte de São Gonçalo do Pará por um período de 10 dias — detalhou o gerente da Cemig, Divino Barros Vieira.  

Opiniões 

O horário de verão criou polêmica quanto a sua existência. Algumas pessoas gostam, como os empresários de bares e restaurantes, outras odeiam como os estudantes. 

— Eu não gosto nada do horário. Acordo cedo quase todo dia e é muito ruim pra se adaptar. Meu relógio biológico fica desregulado, fico cansada e desanimada. E a economia de energia não parece ser grande coisa— avalia a estudante Angélica Alves. 

Para o empresário do ramo de prestação de serviços Walace Gomes, o horário é benéfico para seu estabelecimento.  

—  O happy hour começa ainda com sol, o que atrai um bom público que esta saindo do serviço. Além disso, um chopp num calor destes, ainda com o tempo claro, é uma boa combinação — atesta Wallace.   

Mas tem aqueles que não ligam muito não.  

— Eu até que gosto do horário de verão. Acho uma delícia ver o dia mais comprido, chegar em casa do serviço e ainda ver tudo claro. Não tenho problemas porque quando acordo, por volta das 6h30, o dia já está claro — afirma o operador de caixa, Aloísio Alves. 

 

Comentários
×