Homicídios do fim de semana elevam o número para quinze

 

Gisele Souto

Após uma semana de trégua, Divinópolis registrou mais um fim de semana violento. Foram registrados três homicídios na cidade, um no sábado e dois no domingo, todos com características de execução. O registro é semelhante à semana anterior, quando três também foram assassinados, apenas com uma diferença, o último foi registrado na segunda-feira, 11. Com estes últimos registros, Divinópolis já soma 15 homicídios em 2019, seis a mais do que o número registrado em 2018, quando foram 9. A maioria teve a arma de fogo como instrumento usado e vários tiros disparados. Um exemplo foi o assassinato no Sagrada Família. Um rapaz de 21 anos levou oito tiros, chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) mas morreu assim que deu entrada na UPA. Os crimes também tem uma característica em comum: todas as vítimas muito jovens. 

Os crimes

No primeiro deles, um rapaz foi assassinado no bairro Santa Lúcia na manhã de sábado, 16. O Samu recebeu o chamado de socorro foi por volta das 10h. Ao chegar à rua José Jânio Soares, a equipe constatou que a vítima já estava morta.

O jovem é Paulo Ricardo dos Santos Diniz. Ele tinha 20 anos e, segundo familiares, tinha saído do presídio Floramar no último dia 11.

De acordo com testemunhas, ele estava no quarto quando duas pessoas usando capacete teriam entrado e efetuado disparos.

As motivações ainda são apuradas pela Polícia Civil (PC).

Já no domingo um rapaz de 21 anos levou oito tiros, chegou a ser socorrido pelo Samu, mas morreu assim que deu entrada na UPA.

De acordo com a Polícia Militar (PM), B.M.S.C., de 21 anos, contou que era aproximadamente 0h30, quando saía de uma festa e três desconhecidos encapuzados dispararam contra ele, que foi atingido por oito tiros na região do tórax. Os atiradores fugiram após a ação.

A vítima foi socorrida e levada pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde morreu logo que deu entrada. Ela tem passagens por roubo, receptação, além de porte ilegal de armas.

Também no domingo, só que à noite, outro jovem morreu após ser atingido por tiros no bairro Campina Verde.

O chamado de emergência do Samu foi registrado por volta das 21h49 e informava que uma pessoa foi ferida por arma de fogo, na rua Cristo Redentor.

No local, a equipe já encontrou rapaz de 21 anos já sem vida.

O corpo apresentava perfurações de arma de fogo em várias partes.

De acordo com informações de testemunhas, o homicídio teria acontecido próximo a um local onde ocorria uma festa.

Presos

Ainda na noite de domingo, dois homens foram presos após troca de tiros com a Polícia Militar (PM), durante rastreamento em busca dos suspeitos do homicídio ocorrido no bairro Campina Verde, na noite do último domingo. Na ocorrência, militares foram alvos de disparos vindo da laje de uma casa, próximo ao local do crime, momento em que revidaram.

Os homens, de 23 e 24 anos, suspeitos de participar do homicídio, foram presos e com eles foi apreendida a arma de fogo utilizada na troca de tiros com os militares e possivelmente utilizada para cometer o homicídio.

A dupla foi presa e encaminhada à delegacia de Polícia Civil. Os materiais foram apreendidos. Uma pistola calibre .380; 11 munições calibre .380; um carregador de pistola calibre .380 e cinco munições calibre 9mm.

Regiões e ações

No ano passado, quando foram registrados 61 homicídios, a mesma quantidade de 2018, o Jardim Candidés liderou as ocorrências com cinco registros. Em 2019, ainda não houve nenhuma ocorrência no bairro e o Santa Lúcia e Campina Verde lideram as estatísticas com dois crimes em cada.

Ouvida pela reportagem, a PM informou que não há uma predominância em nenhum bairro. Disse ainda, por meio da assessoria de comunicação, que os militares compareceram em todos os locais, colheram todas as informações possíveis, inclusive acionando a Patrulha de Prevenção a Homicídios (PPH), e repassaram todas as informações à Polícia Civil, que é a responsável pela investigação.

Para prevenir os crimes, revela que criou a PPH, realiza operações de combate ao tráfico de drogas, que é um dos motivadores deste tipo de delito. Além disso, afirma que implementou a operação ‘Asfixia’ nos locais propícios à ocorrência deste tipo de delito e a operação ‘7ª Região Mais Segura’, desde ontem.

Finaliza informando a conferência de todas as informações oriundas do Disque Denúncia Unificado do (DDU), pelo qual solicita-se a participação da população através do serviço.

Comentários
×