Homem com coronavírus é internado em estado grave no São João de Deus

Matheus Augusto

O cenário do coronavírus (Covid-19) em Minas Gerais continua a se agravar. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou a primeira morte pela doença em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. Em Divinópolis, a  morte de uma mulher de 31 anos, no último dia 23, era investigada, mas foi descartada ontem pelo Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). A entidade ainda confirmou o quinto caso de Covid-19 em suas instalações. No entanto, um homem em estado grave está internado na unidade.

O paciente, um homem de 65 anos deu entrada no dia 26 de março, permanece em nossa instituição em isolamento, recebendo todos os cuidados necessários de acordo com os protocolos adotados pelos órgãos de saúde. Seu estado de saúde é grave. Os quatro outros casos registrados no CSSJD não estão internados em nossa instituição. Todos eles permanecem isolados em suas residências por não apresentarem sintomas graves do Covid-19 — pontuou o CSSJD.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) contabilizou até ontem 417 casos notificados, 387 suspeitos e nove confirmados.

No topo da lista

Divinópolis é, segundo os dados disponibilizados ontem pela SES, a quinta cidade de Minas com mais casos confirmados de Covid-19. Em primeiro lugar está a capital mineira, que concentra o maior número de detecções: 163 (62,5% de todo o estado). A lista segue com Nova Lima, 19 (7,3%); Juiz de Fora, 13 (5%); Uberlândia, 10 (3,8%); Divinópolis, 9 (3,4%).

Grupo de risco

A primeira vítima fatal do coronavírus em Minas Gerais foi uma mulher, de 82 anos. Apesar de morar em Belo Horizonte, ela estava internada no Hospital Biocor, em Nova Lima, desde o dia 21, quando apresentou febre, tosse e desconforto respiratório. A idosa foi transferida dois dias depois para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), oportunidade em que amostras foram coletadas para testar a presença do Covid-19 - confirmado posteriormente. Ela morreu no domingo.

A secretaria informou ainda que a vítima estava do grupo de risco da doença, pois, além de idosa, possuía histórico de doença cardiovascular crônica, diabetes mellitus e pneumopatia crônica.

Desinformação

O governador Romeu Zema (Novo) entusiasmou na sexta-feira, 27, os empresários e trabalhadores afetados pelos decretos de fechamento do comércio e que desejam retomar suas atividades. Apesar de garantir que “a prioridade do Governo de Minas continua sendo a preservação da saúde e da vida de todos”, Zema prometeu avaliar a situação e a possibilidade de abertura de cada setor - levando em consideração a recomendação da SES. 

O Estado ainda explicou que, caso seja determinada a possibilidade de abertura de setores atualmente fechados, os sindicatos deverão garantir a segurança dos trabalhadores, e as empresas serão obrigadas a adotar as práticas sanitárias recomendadas - revezar a escala de trabalho, evitar o contato de clientes e funcionários e oferecer atendimento especial aos idosos (grupo de risco).

Alinhado ao pronunciamento do governador Zema e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e de movimentos ocorridos em diversas cidades do país, empresários fizeram no último sábado, em Divinópolis, uma carreata para defender a reabertura de seus estabelecimentos. Conforme decreto municipal, as atividades consideradas não-essenciais podem funcionar apenas na modalidade delivery. Apesar de desejarem a volta ao trabalho, os manifestantes obedeceram às normas de prevenção ao coronavírus e se mantiveram em seus veículos. 

População vulnerável

Uma das preocupações da Saúde, não restrita à Divinópolis, é com as pessoas em situação de rua. A Prefeitura informou ontem que os dependentes de álcool e outras drogas que vivem essa realidade “terão um espaço apropriado neste período de pandemia”. Através do Comitê Gestor de Polícias sobre Drogas, a Comunidade Sacramento de Amor firmou uma parceria para acolher os dependentes químicos. As ações de orientação e oferta de abrigo começaram ontem, como informou o secretário de Governo, Roberto Chaves.

— Ficou acordado que a casa Sacramento de Amor, gestora da Casa São Francisco, fará  o recolhimento dos dependentes de álcool e outras drogas que desejarem ser acolhidos e  disponibilizará sua estrutura física e de voluntários para acolher durante o dia, em um primeiro momento, a população. Vão receber todas as refeições diárias e possibilidade de higienização. Os assistidos terão a possibilidade de se abrigar com dignidade — explicou.

O presidente do Sindicato dos Contabilistas de Divinópolis, Sérgio Bebiano, e o bispo de Divinópolis, Dom José Carlos, também contribuíram com a iniciativa oferecendo funcionários para prestar apoio aos assistidos.

A Casa São Francisco está localizada na rua do Chumbo, 297, no bairro Niterói. Para manter o “programa”, a entidade conta com a colaboração da população e solicita, a quem puder contribuir, com a doação de: alimentos, materiais de higiene e limpeza, roupa de cama, roupa masculina, colchões e travesseiros encapados, Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e contribuição financeira para ajudar a custear água, energia e gás. As doações financeiras podem ser feitas pela Caixa Econômica Federal, em nome da Associação Imaculada Conceição (CNPJ: 04-195.503/0001-10, conta: 904421-2, operação: 003, agência: 0113).

Mais informações sobre o funcionamento do programa podem ser obtidas com a diretoria do comitê, entre 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, pelo (37) 9 9112-4098.

Doação

Outro setor afetado gravemente pelo surto de coronavírus é o de doação de sangue. Segundo informou o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais, o Hemominas Divinópolis registrou uma queda de de 25% no comparecimento de doadores em março.

— Os tipos sanguíneos O positivo, O negativo, A positivo, A negativo e AB negativo estão em estado de alerta — comunicou.

A Prefeitura informou que o “Hemominas Divinópolis está seguindo todas as recomendações do Ministério de Saúde”.

— Com o avanço do vírus, “foram intensificados todos os procedimentos de higienização do espaço, dentre eles, a obrigatoriedade do uso do álcool gel/líquido 70%, que está sendo fornecido para qualquer doador ou pessoa que entrar nas unidades — frisou.

Além disso, as caravanas de doadores só são aceitar se conterem, no máximo, dez pessoas. Outra atitude tomada pela administração foi o distanciamento mínimo de um metro em os presentes, tanto na sala de espera quanto na sala de coleta do sangue.

Segundo a gerente administrativa da unidade, Nilba Pinheiro, mesmo com o surto da doença, as ocorrências comuns continuam ocorrendo, e, por isso, é fundamental manter o estoque de sangue.

— Nós precisamos enfatizar que o tipo O positivo, é o mais frequente na população, e que o O negativo é o sangue universal, utilizado nas urgências e emergências. Os dois tipos estão em estado de alerta, isso significa que nós temos estoque para no máximo cinco dias — contou.

A doação de sangue pode ser agendada no site www.hemominas.mg.gov.br ou pelo MGapp. 

Estado

Minas Gerais contava, até ontem, com 29.724 casos suspeitos para coronavírus em investigação e 261 confirmados. Além de uma morte atestada, outras 23 vítima fatais tiveram suas amostras coletadas para testar a presença do Covid-19, porém ainda não o resultado ainda não foi concluído.

 

Comentários
×