Guarani é tricampeão do Módulo II

José Carlos de Oliveira

O Guarani é o grande campeão mineiro de 2018, no Módulo II. Na tarde deste sábado, o alvirrubro divinopolitano empatou com o Tupynambás em 1 a 1 e ficou com a taça. O Baeta saiu na frente no primeiro tempo, com Yan Carlos escorando de cabeça cruzamento que veio da ponta direita. O gol de empate do Bugre só aconteceu no final do jogo, aos 43 minutos da segunda etapa, quando Leo Torres fez grande jogada pela direita do ataque bugrino e deixou tudo igual em 1 a 1.

No mata-mata da final, o Guarani levou a melhor, vencendo o Baeta em Juiz de Fora no domingo passado, por 1 a 0, com gol de Pedrinho, em cobrança de pênalti, e empatando no Farião, neste sábado, em 1 a 1.

O Guarani foi campeão com a melhor campanha da fase classificatória, melhor ataque, melhor defesa, um título incontestável da primeira à última rodada. Finalistas, Guarani e Tupynambás vão disputar o Módulo I na próxima temporada.

Com a conquista deste ano, o Guarani chegou ao tricampeonato do Módulo II (2002, 2010 e 2018) e ao seu quarto título estadual, somando-se à taça de campeão da Segunda Divisão em 1994.

Um grande jogo

A partida começou em alta velocidade. Precisando vencer por dois gols de vantagem, foi o Tupynambás que criou as primeiras chances de gol, com Richard aos 3 minutos, em grande defesa de Leandro Henrique, e Catatau aos 11, chutando de fora da área.

Mas as melhores chances de gol na primeira etapa foram do Guarani. Depois da pressão inicial do Baeta, o Bugre colocou a bola no chão e criou inúmeras oportunidades para abrir o placar, com Pedrinho, Alemão, Paulo Morais (acertando o travessão) e Leomir.

E como quem não faz, leva, depois de mais uma chance desperdiçada pelo ataque bugrino, Edemilson puxou o contra-ataque, lançou a Richard na direita e este cruzou na área, na cabeça de Yan Carlos, que testou para o fundo das redes, fazendo 1 a 0 para o Tupynambás.   

Expulsão e empate

O Guarani voltou parra o segundo tempo, apostando no que tem de melhor: no seu toque de bola. Com maior posse, o time continuou parando no goleiro Glaysson, o grande nome do duelo, com boas defesas.

Aos 38 minutos, quando o jogo caminhava para um período crítico, onde uma bola poderia colocar toda a campanha vitoriosa do Guarani a perder, o Tupynambás acabou ficando com um jogador a menos. O zagueiro Vinícius fez falta violenta em Paulo Morais e foi justamente expulso de campo pelo árbitro da partida.

A festa do Guarani ficou completa aos 43 minutos. O atacante Leo Torres fez grande jogada pela direita do ataque do Guarani, invadiu a área e chutou sem chances de defesa para Glaysson, deixando tudo igual em 1 a 1 e coroando o título do Bugre com um grande resultado.

Detalhes da Partida

Jogo: Guarani 1 x 1 Túpynambás

Motivo: Jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, Módulo II

Local: estádio Waldemar Teixeira de Faria, Farião, em Divinópolis

Guarani – Leandro Henrique; Ricardo Luz, Wagner, Eduardo Mancha e Thiago Balaio; Alemão, Kauê (Yuri) e Leomir (Leo Torres); Paulo Morais, Pedrinho e Magalhães. Técnico: Gian Rodrigues

Tupynambás - Glaysson; Catatau, Adriano, Vinícius e Hipólito; Guilherme, Gustavo Crecci, Wilson e Yan; Richard e Ademilson. Técnico: Guiba.

Gols: Yan Carlos, Tupynambás; Leo Torres, para o Guarani, aos 43 do segundo tempo

Árbitro: Wanderson Alves de Souza (CBF) - Auxiliares: Ricardo Júnio de Souza (CBF) e Pablo Almeida Costa (Especial FMF)

Campanha do Guarani 

Final

Guarani 1 x 1 Tupynambás

Tupynambás 0 x 1 Guarani

Semifinal

Uberaba 0 x 1 Guarani

Guarani 0 x 1 Uberaba

Primeira fase

Ipatinga 0 x 2 Guarani

Guarani 1 x 0 Social

Tricordiano 1 x 0 Guarani

Guarani 6 x 2 Democrata-SL

CAP Uberlândia 0 x 1 Guarani

Guarani 3 x 0 Tupynambás

Nacional de Muriaé 2 x 3 Guarani

Uberaba 1 x 1 Guarani

Guarani 2 x 1 Betinense

Mamoré 1 x 0 Guarani

Guarani 1 x 1 América-TO

Comentários
×