Grupo Pharmacia faz show no Gravatá

Jorge Guimarães

Os anos 70 foram de muita efervescência cultural em Divinópolis, ocasião em que muitos artistas puderam expor suas obras e ideias. Artistas como Hevecus e Waldir Caetano, na pintura, Osvaldo André de Mello no teatro, Adélia Prado na poesia e tantos outros participavam ativamente de eventos como a Semana de Arte de Divinópolis. Na música, grupos como Formula, que deu origem ao Ad’Canto, Túlio Mourão e os Grupos Serca e Pharmacia se apresentavam na Capela dos Franciscanos e, principalmente, nos concertos de Natal, já tradicionais nos dias atuais.     

Pharmacia

O grupo Pharmacia teve o auge de seus trabalhos musicais nos anos 80, quando participou e venceu vários festivais em todo o estado de Minas Gerais. A banda fez shows em diversas cidades mineiras e, principalmente, na capital, onde lançou seu primeiro LP, em 1984, ainda em vinil, no Palácio das Artes e em diversos canais de TV e emissoras de rádio. As atividades foram interrompidas nos anos 90, voltando apenas em 2009. E no próximo dia 28, a partir das 20h, o grupo realiza um show no Teatro Gravatá para comemorar o lançamento do primeiro LP, há 35 anos.  

Influência

Formado por Aguinaldo Espíndola, Sílvio Rabelo, Sérgio de Castro, Aulus Mourão, Carlos Wagner e Reginaldo, a banda teve influências dos Beatles, Queen, do pop nacional e internacional, MPB e Clube da Esquina.

Apresentação

O show terá as participações especiais de Sérgio Rabelo, Renan Karacol, Grupo Vozes e de Denise Gonzaga. A playlist do show vai contar com músicas autorais intercaladas com algumas releituras de sucessos dos Beatles.

— Vamos prestar homenagens ao cantor e compositor Tavito, que participou do Clube da Esquina e teve participações com o Pharmacia e se tornou um grande amigo. Outro que vamos homenagear é o poeta Júlio Regis, que também teve sua colaboração junto a todos nós. E é nosso pensamento levar este show a cidades mineiras e em especial a Belo Horizonte — detalhou um dos integrantes e fundadores da banda, Aguinaldo Espindola.

Comentários
×