Grupo divinopolitano 4 Kantus de volta!

Welber Tonhá e Silva

Grupo divinopolitano 4 Kantus de volta!

Depois de 40 anos de sua criação, o grupo musical 4 Kantus está de volta com um projeto musical inédito. O grupo, que desde 1981 tem a mesma formação, é composto pelos músicos Drino David, Vicente Antônio, José Levi e maestro Alaôr. 

Em 2020, em meio à pandemia, eles, que são grandes amigos, resolveram voltar à ativa com um trabalho que promete encantar a todos com um repertório lindo, que vai homenagear muitos músicos brasileiros, além de uma homenagem especial à poeta divinopolitana Adélia Prado.

 

História de Divinópolis no século XX (parte 1)

Com o aniversário da cidade chegando, continuo a contar um pouco sobre a história de nossa cidade. Neste primeiro momento, uma linha do tempo com datas agora uma parte do século XX:

1905 - É montado o primeiro destacamento policial.

 1906 - Uma forte enchente arrasta a ponte da Cachoeira Grande, posteriormente reformada.

 1909 - Grande conquista dos líderes locais, trazendo, para a Estação Henrique Galvão, o entroncamento de Belo Horizonte com o triângulo.

 1910 - Início da construção das oficinas da Rede e inauguração do trecho ferroviário de Belo Horizonte e Estação Henrique Galvão.

 1911 - Chega nesta localidade o padre Matias Lobato.

 1912 - Em 1º de junho é instalado o Município de Divinópolis, que em sua história pertenceu às seguintes comarcas:

Sabará nos anos de 1711 a 1744; 

Vila São José do Rio das Mortes nos anos de 1744 a 1758;

Pitangui nos anos de 1758 a 1847;

Itapecerica nos anos de 1847 a 1912.

 1913 - Construção do prédio da Câmara Municipal (posteriormente demolido para a construção do Fórum), na rua São Paulo.

 1914 - Criação do Distrito do Espírito Santo do Itapecerica pela Lei Provincial de nº 138, de 3 de abril. Neste ano foi também criada a paróquia.

 1915 - A sede do Município é elevada à categoria de cidade.

 1916 - Inauguração da nova e atual estação ferroviária.

 1918 - Inauguração da Santa Casa de Misericórdia e da usina hidrelétrica do Bracinho, ao lado da ponte do Niterói.

 1920 - Inauguração da luz elétrica proveniente da usina na cachoeira São José.

 1926 - Eleição para deputado à Assembleia Geral Legislativa na Igreja Matriz. Foi eleito o Dr. Afonso Lamounier Godofredo, natural de Itapecerica.

 1929 - Inauguração da Escola Normal "Mário Casassanta".

 1930 - Primeira linha de ônibus intermunicipal: Divinópolis a Bom Despacho.

 1931 - Criação da usina de álcool motor (de mandioca).

 1935 - Divinópolis é transformada em Comarca.

 1936 - Instalação da Comarca de Divinópolis. Inauguração da primeira ponte de concreto sobre o rio Pará (atualmente submersa) - MG 050.

 1937 - Inauguração da primeira indústria têxtil - Fitedi

 1939 - Construção da ponte de concreto armado no Niterói.

 1940 - Começa a transitar regularmente a linha de ônibus Divinópolis/Belo Horizonte. É publicado no "Minas Gerais" a demarcação do território do Município.

Na próxima edição, a segunda parte de fatos que marcaram o século XX.

109 Histórias Marcantes

Dando continuidade, em primeira mão, vou citar mais alguns nomes que terão suas histórias contadas no livro 109 Histórias Marcantes. Juntam-se aos que falei nas outras edições os seguintes imortalizados com suas histórias: Halin Souki, Simpliciana Brandão, Maria Pega Trouxa, Adriano Reis, Ataliba Lago, padre Matias lobato, Geni Euphênia da Silva, Dilza Eugênia de Souza Nery, José Roberto Reis Saléh, Leides Nogueira, “O Soldado”, Rômulo Rubens, Cleitinho Azevedo, Antônio Cantor, Fausto Notine, Luiz Militão, Paulinho da Lica, Luciano Caldeira, Paulo Salatiel, Antônio Gontijo de Carvalho e Luiz Alberto Morsoletto. Na próxima edição, divulgarei os nomes dos que me contaram essas histórias. 

 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para welbertonha@gmail.com

Welber Tonhá e Silva 

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×