Grupo Baal apresenta III Mostra Divergente de Teatro de Divinópolis

Da Redação

Da Redação

O Grupo Baal de Teatro é um Coletivo de Artes Cênicas volta com suas apresentações em março. Uma das peças é: “A História do Zoológico”. Uma livre adaptação da obra de Edward Albee, que estreia no dia 06 de março, às 19h30, e fica em cartaz até o dia 20 do mesmo mês e volta em cartaz de 03 e 17 de abril. Espetáculo inédito com dramaturgia colaborativa em textos do dramaturgo americano Edward Albee, o espetáculo com roteiro de Valério Peguini foi adaptado livremente. A História do Zoológico, narra um diálogo conflituoso entre duas pessoas de realidades diferentes: o encontro entre Jerry, um homem solitário e entediado, e Peter, um homem bem casado e bem-sucedido, marcará para sempre a realidade dos dois.

Entre Quatro Paredes de Jean

Marcada pelo existencialismo a peça é conhecida pela frase “o inferno são os outros”. Escrita em 1944 pelo filósofo, dramaturgo e crítico literário Jean-Paul Sartre (1905-1980), traz três personagens que, após sua morte, são condenados a viver juntos, para sempre, em uma sala fechada que expressa a falta de liberdade partindo de uma situação inusitada e instigante. Sartre mantém uma guerra psicológica entre os personagens, que se intensifica e se renova a cada cena, levando a um final surpreendente. Em cartaz entre 13 e 17 de março e 10 e 24 de abril.

O Diário de Freud

O espetáculo nos coloca em ângulos que possibilitam distinguir a figura ilustre e universal de Freud e a figura do homem cotidiano premido de preocupações, sofrimentos pessoais, incertezas quanto ao futuro de seus familiares, amigo e pátria. O homem que às vezes se desesperançava, mas que sempre encontrava saídas no humor ou até na negação trágica de sua saúde e sua pátria. O espetáculo repleto de imagens tocantes dos últimos anos de sua vida em Londres e o período da invenção da psicanálise. Entra em cartaz no dia 13 de junho.

Baal

A primeira peça longa de Brecht é uma biografia dramática de um poeta e cantor bêbado, mulherengo e rude, que luta contra as convenções sociais e obrigatoriedades, tornando-se um anti-herói. Seu nome é Baal. Um novo deus pagão, rebelde, indiferente, com receio de crianças, luxurioso, sempre embriagado de álcool ou poesia, com tendências homossexuais e irreverente; Baal é a poesia da podridão, fruto de uma época destruída. Estréia prevista para agosto próximo.

Serviço

A direção artística é de Valério Peguini. Compõe o elenco do Grupo Baal de Teatro os atores : Paulo Marotta, Gabriel Andrade, Rita Matiusso, Flávia Teresa, Rosa Mística, Emmanuel Petit,  Rodrigo Fernandes, Ana Clara Bernardes. Os figurinos são de Eunice Saldanha, a fotografia fica por conta de Eli Penha e reservas de ingressos pelo (37) 9 8846 8364.

O “Nosso Espaço de Arte” fica localizado à rua Itamarandiba, 229, bairro Bom Pastor.

Comentários
×